Swiss se tornará a primeira aérea do mundo a revestir aviões com ‘pele de tubarão’

Foto: AEROIN

A SWISS se tornará a primeira companhia aérea de passageiros do mundo a tirar proveito da nova tecnologia AeroSHARK para reduzir as emissões de dióxido de carbono e o consumo de combustível de suas operações de voo. Todas as doze aeronaves Boeing 777-300ER da companhia aérea terão o filme riblet, que foi co-desenvolvido pela Lufthansa Technik e pela fabricante de produtos químicos e revestimentos BASF. 

A redução resultante no arrasto aerodinâmico tornará a frota de Boeing 777 da SWISS mais de 1% mais eficiente em termos de combustível, e isso, por sua vez, reduzirá ainda mais suas emissões de dióxido de carbono. 

O AeroSHARK é um novo filme biomimético desenvolvido em conjunto pela Lufthansa Technik e BASF. O filme apresenta milhões de riblets – pequenas saliências de apenas 50 micrômetros de altura – que replicam a pele altamente hidrodinâmica dos tubarões e, assim, reduzem o arrasto aerodinâmico de uma aeronave onde quer que seja aplicado.

Economia anual de emissões de CO2 de até 15.200 toneladas

Ao aplicar um total de 950 metros quadrados de filme AeroSHARK nas superfícies da fuselagem e nacele do motor de um Boeing 777, pode-se obter uma economia de combustível de cerca de 1,1%. Isso reduzirá seu consumo anual de combustível em mais de 4.800 toneladas e as emissões anuais totais de dióxido de carbono da frota em até 15.200 toneladas – a quantidade emitida respectivamente por cerca de 87 voos de longa distância de Zurique a Mumbai.

A SWISS instalará sucessivamente o novo filme Riblet AeroSHARK em sua frota de Boeing 777 a partir de meados de 2022. O trabalho será executado quando as paradas de cada aeronave permitirem.

A adoção da nova tecnologia AeroSHARK é uma iniciativa dos esforços mais amplos da SWISS para minimizar suas emissões de dióxido de carbono. A SWISS estabeleceu os objetivos de reduzir pela metade suas emissões líquidas de CO2 em relação aos níveis de 2019 até 2030 e tornar seus negócios e operações neutros em carbono até 2050.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Passageira seminua cospe em comissários por querer upgrade para classe executiva

0
O caso teria ocorrido após a passageira querer um upgrade para um assento na Classe Executiva, enquanto voava de Abu Dhabi para Mumbai.