Teria um avião da Azul pousado na pista errada no Rio? Assista ao momento e entenda

O E195 pousando, em cena do vídeo apresentado abaixo nesta matéria

Um suposto incidente aeronáutico bastante sério teria sido registrado na noite da terça-feira, 5 de abril, no Rio de Janeiro, quando um avião pousou em uma pista em que não estaria autorizado a pousar.

Na situação, reportada por outros veículos de comunicação nesta quarta-feira, o avião Embraer 195 da Azul Linhas Aéreas efetuava o voo AD-2856, do Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, para o Santos Dumont, na capital do fluminense, quando teria havido o engano no procedimento, feito pela pista da direita, ou invés da esquerda.

O momento foi registrado no vídeo abaixo nesta matéria, da câmera ao vivo do canal Aviation TV do YouTube, que transmite o movimento do Santos Dumont durante as 24 horas do dia.

Porém, o seguinte aspecto chama a atenção na gravação.

Algum tempo antes da chegada da aeronave, outro avião da Azul é visto pousando pela pista da esquerda (às 19h04min55s, no horário na parte superior da gravação). Em seguida ao seu pouso, um avião da Latam, que estava aguardando para decolar, é visto deslocando-se até a mesma pista da esquerda para sua partida.

Porém, neste momento, é possível notar as luzes da pista da esquerda sendo apagadas (às 19h05min18s). As seis luzes vermelhas que marcam o final da pista e todas as luzes das laterais da pista são apagadas antes mesmo do avião da Latam chegar até ela.

Após a decolagem do Latam, o segundo avião da Azul é visto pousando, agora pela pista da direita (às 19h09min37s), que permanecia acesa, no que seria o incidente aeronáutico.

Alguns minutos depois, o próximo avião chegando para o pouso é visto arremetendo (às 19h11min55s), mas sem que seja possível definir para qual pista estava fazendo a aproximação.

Por fim, a pista da esquerda é vista sendo novamente acessa (às 19h12min30s), e a próxima decolagem ocorre por ela.

Os movimentos de aviões acima descritos, assim como o apagamento e depois acendimento das luzes da pista, podem ser vistos no vídeo a seguir:

O aeroporto Santos Dumont possui duas pistas paralelas e bem próximas uma da outra, identificadas como 20L e 20R, quando os aviões pousam vindo do sentido da Ponte Rio-Niterói. O número 20 representa o rumo magnético 200º, enquanto a letra L significa “Left”, ou Esquerda, e a R significa “Right”, ou Direita, para diferenciar a pista em que é dada a autorização de pouso ou decolagem.

Acontece que, embora a pista 20R seja aprovada para receber aviões comerciais como o E195, ela é mais curta e mais estreita do que a 20L. São 1260 metros de comprimento por 30 metros de largura da primeira, e 1323 metros por 42 metros da segunda. Assim, as operações ocorrem, geralmente, pela 20L.

Dessa forma, caso o controlador de voo autorize o pouso por uma pista, efetuar o procedimento na outra representa riscos à segurança de voo por motivos, entre outros, como:

– pode haver outra aeronave ou algum veículo de serviço do aeroporto na pista, levando à possibilidade de uma colisão; ou

– os cálculos de performance da aeronave no pouso são feitos com base na distância da pista em que o pouso foi autorizado, portanto, no caso de uma pista mais curta, os pilotos podem não ter tempo suficiente para a redução da velocidade antes da cabeceira oposta.

Assim, caso o pouso tenha, realmente, sido feito por engano na pista errada, pode representar os riscos acima descritos e um grave incidente.

Porém, o apagamento da pista, visto no vídeo, também levanta a possibilidade de que o pouso pela pista 20R foi previsto e, se esse foi o caso, os pilotos teriam previamente calculado o pouso pela pista mais curta, e nenhum incidente teria acontecido.

Em último caso, se a autorização foi para a pista da esquerda, e os pilotos pousaram na da direita porque era a única acesa, ainda existe a possibilidade de uma falha relativa ao apagamento das luzes, e não necessariamente a um erro dos pilotos, mas que também se configuraria como um grave incidente.

Segundo as informações veiculadas, tanto o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) quanto a Azul Linhas Aéreas informaram que estão investigando o pouso.

Assim sendo, antes que se tenha qualquer conclusão de quem tem a competência para investigar, qualquer afirmação de que ocorreu um pouso incorreto e, assim, um incidente, é apenas provisória e, talvez, especulativa.

O AEROIN apresentará mais informações sobre a situação quando detalhes mais precisos forem divulgados.

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Azul implanta projeto APU Zero em Confins para não usar ‘terceiro...

0
A companhia aérea Azul implantou na segunda-feira (15), no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Minas Gerais