Tripulantes da Azul rechaçam proposta de acordo e crise da Covid prossegue na empresa

Na semana passada, a Azul Linhas Aéreas emitiu uma nota justificando o grande número de cancelamentos de voos, e atribuindo-os à rápida disseminação da Covid-19 entre sua equipe, especialmente os tripulantes (pilotos e comissários), resultando em vários afastamentos por licença médica.

Diante da contingência, a empresa propôs um acordo em que as folgas mensais dos tripulantes passariam de dez para nove e que, além disso, como compensação, a empresa pagaria uma gratificação extra a depender da função e equipamento voado.

Outro ponto proposto foi a regularização na publicação e mudanças nas escalas, que seriam provisoriamente publicadas de maneira quinzenal e não mensal. Como compensação, os tripulantes receberiam um Vale Alimentação extra de R$463.

Rechaçado – a tentativa de acordo, no entanto, foi rechaçada pelos tripulantes, como informou o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA). Foram registrados 74,37% de votos contrários ao Acordo Coletivo de Trabalho sobre a publicação de escala quinzenal e a redução facultativa do número de folgas mensais. Outros 25,19% de votos foram a favor e 0,44% de abstenções. No total foram 2.052 votantes.

Com isso, a empresa terá que buscar novas formas de contornar o problema. Enquanto isso, voos seguem sendo cancelados pelo Brasil até que a situação se estabilize.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Telefone de piloto do Jumbo apreendido na Argentina confirma ligações com...

0
O conteúdo encontrado no celular do comandante iraniano que estava a bordo de um Boeing 747 preso confirmou suas ligações com terroristas.