Uma nova companhia aérea começa a nascer no Brasil com foco na carga

Imagem meramente ilustrativa

EXCLUSIVO – Nos últimos meses, o mercado tem visto um aumento na quantidade de empresas de logística buscando a expansão de suas operações no mercado aéreo. Além das companhias já consolidadas, como a Sideral, Total e os braços de carga aérea das três grandes – Gol, Latam e Azul – outras se colocam como postulantes a abertura de empresas completamente novas.

Exemplos recentes desse fenômeno são a DUX Logistics, que já tem uma empresa aérea sob o RBAC 135, mas que busca abrir outra no RBAC 121 (que permite aviões maiores), ou mesmo os sócios da Total Express, que iniciaram um processo de uma companhia cargueira própria, a Anívia Serviços Aéreos.

No entanto, segundo fontes informaram ao AEROIN, uma outra companhia logística iniciou um processo para certificação de uma empresa aérea no Brasil sob o RBAC 121: a Levu Transporte Aéreo e Logística de Cargas Ltda., registrada no CNPJ 46.416.494/0001-90, que foi aberto em maio de 2022 e cujos sócios são ligados à empresa Expert-Log, que atualmente opera no comércio exterior, mas usando espaço de porão de aeronaves de outras empresas (vide foto abaixo).

Atualmente, o processo de certificação junto à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) está na fase 1 (de um total de cinco), então ainda há um longo caminho a ser seguido.

O AEROIN também identificou que há um site na internet registrado em nome da empresa (https://levulogistics.com/), o qual ainda não conta com nenhum conteúdo, mas apenas os dizeres “em breve”.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Avião Boeing 737-800 Copa Airlines

Baianos seguem “paquerando” a Copa Airlines em busca de um voo...

0
A empresa oferecia duas linhas semanais da rota, no período pré-pandemia, e suspendeu as operações por causa dos efeitos da crise sanitária.