Veja o que diz o Departamento de Controle do Espaço Aéreo do Brasil por seus 80 anos

Imagem: DECEA

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo do Brasil comemora hoje, 12 de janeiro de 2022, seus 80 anos de existência, e para marcar a data, publicou um texto apresentando um pouco da história e do orgulho ao longo de sua jornada.

Acompanhe a seguir na íntegra o conteúdo apresentado hoje:

“Neste dia 12 de janeiro, celebramos os 80 anos do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), tendo a satisfação de olhar para trás e comprovar uma história de grandes feitos, de desafios tão complexos quanto as soluções trazidas. Uma jornada de pioneirismo, bravura e excelência, que nasceu com a Diretoria de Rotas Aéreas em 1942, passando pela Diretoria de Eletrônica e Proteção ao Voo em 1972, chegando ao nosso DECEA em 2001.

Mais que testemunhas, fomos – e seguimos sendo – agentes das mudanças, protagonistas da nossa própria história, ora acompanhando os maiores expoentes da aviação no mundo, ora liderando, ao apontar caminhos que só nossa conjuntura singular de país continental na América do Sul nos permite antever.

O lugar de destaque que ocupamos no cenário da aviação nacional e internacional é resultado do esforço e empenho de cada ação executada de maneira ininterrupta por nossos mais de 13 mil profissionais, homens e mulheres, civis e militares, que juntos cumprem a missão de defender, controlar e integrar o espaço aéreo brasileiro, cuja área de responsabilidade se estende por 22 milhões de quilômetros quadrados.

Organização de grande relevância da Força Aérea Brasileira (FAB) e órgão central do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB), o DECEA, por meio do seu Programa SIRIUS Brasil, coordena e executa diversos empreendimentos em todas as áreas relativas à defesa e ao controle de tráfego aéreo, desde às contínuas modernizações de radares, auxílios, softwares e instalações aos projetos de reestruturação do espaço aéreo, implantações pioneiras na América Latina e implementação de ferramentas que garantem a evolução das operações aéreas com confiança, agilidade, fluidez e segurança.

Mantendo a transparência na atuação responsável perante a sociedade, ganham relevância os projetos voltados à sustentabilidade, como os de uso adequado da água, descarte correto de resíduos sólidos e a minimização dos impactos nocivos ao meio ambiente.

O ano de 2021 foi de grandes realizações. A FAB não para, nem tampouco o DECEA. Mesmo num cenário adverso como o que estamos vivendo desde 2020, seguimos cumprindo nossos compromissos internacionais em sinergia com as diretrizes da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI).

Dentre as muitas atividades, destacamos:

– A implantação do Projeto de Setorização Vertical na FIR Brasília, com o objetivo de aumentar a capacidade do espaço aéreo e comportar as crescentes demandas do desenvolvimento da aviação para esta região.

– A Centralização do Plano de Voo, com a consolidação, em um sistema único para o trâmite, de todos os planos de voo que utilizam o espaço aéreo brasileiro, aprimorando a consistência dos dados de voo disponíveis operacionalmente aos seus usuários.

– A promoção e participação do Departamento em eventos sobre uso de aeronaves remotamente pilotadas – os drones – para divulgação de legislação, apresentação do Sistema de Solicitação de Acesso de Aeronaves Remotamente Pilotadas (SARPAS) e debates acerca das melhores práticas da indústria, mobilidade aérea urbana e acesso seguro destas aeronaves ao espaço aéreo. Eventos: AIRCONNECTED, Drone Show, Drone Enable e SIRESANT.

– A implantação das Estações Radares tridimensionais na fronteira oeste do Brasil com seus países vizinhos – Bolívia e Paraguai – reforçando a segurança desta região.

– A implementação das primeiras Estações Meteorológicas de Altitude Automáticas (EMA-A) na América Latina, respectivamente em Uruguaiana (RS) e Fernando de Noronha (PE).

– A reestruturação da Terminal Aérea de São Paulo – TMA-SP Neo, com a implementação do Point Merge System, método de sequenciamento de chegadas, integrando o tráfego ao mesclar os fluxos de entrada em um único ponto.

– A realização do primeiro Voo de Inspeção remoto do ILS de Boa Vista (RR) a partir da Sala Técnica do Quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV), em Manaus (AM).

– A implementação do novo Espaço Aéreo Offshore na Bacia de Campos, dedicado especialmente às operações aéreas na região de plataformas petrolíferas com novas rotas aéreas destinadas às aeronaves de asa rotativa.

– A implantação do Projeto LANDELL – a nova era das Comunicações entre controladores e pilotos por meio de enlace de dados no espaço aéreo continental, com o uso da ferramenta CPDLC em setores das regiões Norte e Nordeste.

Nesta oportunidade, renovo meus sinceros agradecimentos a todo nosso efetivo, sem o qual não poderíamos concretizar com tamanha eficiência tantas atividades.

Por nossa jornada até o dia de hoje, parabenizo a todos. E por tudo que podemos vislumbrar à nossa frente, deixo os votos de que o futuro seja tão somente a materialização daquilo que já planejamos, uma vez que nosso olhar atento e nossa capacidade imaginativa constroem realidades nas quais performamos nossos voos mais longínquos.

Departamento de Controle do Espaço Aéreo – 80 anos de histórias e realizações.”

Tenente-Brigadeiro do Ar João Tadeu FIORENTINI
Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Pouco depois de retomar voos, Latam vai aumentar as frequências para...

0
Após uma suspensão de 24 meses, a Latam retomou seus voos entre Santiago do Chile, Auckland e Sydney em 29 de março. A empresa