Você sabia que alguns A350 estão sendo “resetados” a cada 149 horas de voo?

Você sabia que desde 2017 alguns Airbus A350 precisam ser “resetados” a cada 149 horas de voo, igual você precisa reiniciar de vez em quando seu celular ou computador quando começa a ficar meio lento?

Avião Airbus A350 XWB

Em uma Diretriz de Aeronavegabilidade (documento que faz obrigatório o cumprimento de alguma medida importante) de 2017 e reemitida no início desta semana, a EASA (agência reguladora da avião europeia) alertou as companhias a desligarem e religarem os sistemas do A350 a cada 149 horas para evitar a “perda parcial ou total de alguns sistemas ou funções de aviônicos”.

A Diretriz, que havia sido emitida em 2017, foi agora revisada para informar que novos A350-941 que tiveram seu software modificado na linha de produção estão isentos do cumprimento.

Enquanto isso, para todos os outros A350-941 ainda com a versão original do software, os operadores precisam desligar completamente a aeronave antes de completar 149 horas de tempo de voo desde o último desligamento.

A Diretriz original de 2017 foi emitida por conta de “eventos em serviço em que houve uma perda de comunicação entre alguns sistemas aviônicos e a rede aviônica”. O impacto das falhas variou desde “perda de redundância” até “perda total em função específica”.

Isso significa que, antes de 2017, pelo menos alguns A350 estavam sofrendo falhas inexplicáveis ​​de sistemas digitais potencialmente críticos para voo.

A Boeing também sofreu muito com um problema semelhante em seu 787 Dreamliner: em 2015, foi descoberto um erro de falta de memória que fez com que os geradores do 787 se desligassem após 248 dias de operação contínua.

É comum que os aviões de passageiros sejam deixados ligados enquanto estacionados nos portões do aeroporto, para que possam ser realizadas verificações rotineiras de sistemas entre os voos.

Mas mesmo para as aeronaves A350 que ainda estão com a versão antiga do software, a solução para o problema é direta: de acordo com o Diretriz, a instalação da atualizações do software da Airbus é uma medida suficiente para eliminar completamente a necessidade de desligar e religar o avião a cada 149 horas de voo.

Portanto, cabe apenas às companhias aéreas escolherem se desejam continuar cumprindo o requisito obrigatório de “resetar” a aeronave regularmente, ou instalar a atualização que elimina a falha.

Com informações da EASA.

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias