Início Empresas Aéreas

Voo KL-1713 foi feito por avião Embraer com algo diferente no tanque de combustível

Imagem: KLM

Dois voos muito especiais da KLM decolaram do Aeroporto de Amsterdã no início deste mês. O voo KL-675 para Edmonton, Canadá, e o voo KL-1713 para o Porto, Portugal, passaram pela maior transformação possível em medidas sustentáveis. Iniciado por funcionários da KLM, o Sustainable Flight Challenge conta com 16 membros da SkyTeam Airline Alliance competindo com a intenção de dividir conhecimento e experiência em sustentabilidade, acelerando a jornada para atingir maior sustentabilidade em nossa indústria.

As duas maneiras mais eficientes de reduzir emissões de CO2 são através da renovação de frota e do uso do Combustível Sustentável de Aviação (SAF, na sigla em inglês). Esse é o motivo pelo qual os voos da KLM para Edmonton e para o Porto serão operados pelas duas aeronaves mais econômicas de sua frota, respectivamente o Boeing 787-10 e o Embraer 190 – ambos serão abastecidos com uma mistura de combustíveis que consiste em 39% de SAF. Além disso, uma série de medidas para redução de peso serão tomadas a bordo.

Passageiros da World Business Class foram solicitados, por exemplo, a escolherem sua refeição de preferência com antecedência, e um modelo de inteligência artificial foi usado para prever as necessidades de água a bordo, assegurando que um volume preciso fosse embarcado. Naturalmente, a KLM informou aos passageiros que seu voo tinha um propósito especial, disponibilizando informações de como podem viajar de forma mais sustentável, como, por exemplo, apoiando o programa de compensação CO2ZERO ou contribuindo com o SAF.

Os pilotos trabalharam com controles de tráfego aéreo para voar pela rota mais eficiente, evitando desvios que voos frequentemente enfrentam. O carregamento foi totalmente otimizado para assegurar o melhor centro de gravidade, melhorando a aerodinâmica e gerando economia de combustível em torno de 1,5% a 2%. A carga no porão foi alocada em plataformas mais leves e protegida com redes mais leves, e empresas de transporte entregando cargas foram solicitadas a usar veículos elétricos ou abastecidos por biodiesel.

Um total de mais de 50 medidas novas e existentes foram tomadas a bordo dos dois voos, envolvendo todas as divisões da KLM assim como parceiros como o Aeroporto de Edmonton, Aeroporto de Amsterdam Schiphol, Air Traffic Control the Netherlands (LVNL) e General Electric. O impacto destas novas medidas vai ser avaliado para possível implementação a curto prazo.

O Sustainable Flight Challenge foi criado por um grupo de funcionários da KLM, que foram inspirados pela famosa London-Melbourne Air Race de 1934, que tinha como objetivo expandir o acesso global e conectar as pessoas umas às outras. Voos de longa distância não são mais um desafio para a indústria da aviação, mas a sustentabilidade apresenta uma nova fronteira. Esse é o motivo pelo qual o Sustainable Flight Challenge vai focar, no dia a dia, no serviço comercial.

“Em 2019, a KLM estendeu a mão da cooperação para o setor com a campanha ‘Fly Responsibly’, convidando companhias parceiras a cooperar e dividir melhores práticas para tornar a aviação mais sustentável. Agora chegou a hora de dar o próximo passo para um desafio mais concreto: qual companhia aérea pode operar um voo longo e um voo curto o mais sustentáveis possível? O lado bom do Sustainable Flight Challenge é em primeiro lugar o entusiasmo entre as equipes da KLM em apresentar suas ideias de como isso pode ser alcançado. Outro aspecto positivo é que as companhias aéreas participantes concordaram em compartilhar as lições aprendidas, e nossos passageiros, assim como os fabricantes de motores, produtores de SAF e outros parceiros também foram envolvidos. Esse espírito de cooperação faz com que mais sustentabilidade seja possível e factível“, destaca René de Groot, Chief Operation Officer da KLM.

A performance das companhias aéreas participantes vai ser avaliada externamente por um painel com seis jurados, coordenado/liderado pelo ex-primeiro-ministro holandês Jan Peter Balkenende. Eles decidirão qual companhia performou melhor nas quatro categorias: impacto, inovação,escalabilidade e cooperação. Os resultados serão liberados no fim de junho. O conhecimento adquirido durante o Sustainable Flight Challenge será compartilhado entre os parceiros da SkyTeam participantes.

Informações da KLM

Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.