Início Empresas Aéreas

Você sabia que o Embraer 145 salvou o dia quando o E190 teve problema de software?

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

E190 da JetBlue © Eddie Maloney

Com o fim da produção da série ERJ-135/145 da Embraer e do provável encerramento das operações da maior operadora do modelo, uma história pouco conhecida foi lembrada nesta semana: quando o antigo jato salvou o seu sucessor.

O caso aconteceu na JetBlue, companhia aérea do brasileiro David Neeleman e irmã da Azul Linhas Aéreas, que voa com alguns destes Embraer E190 envolvidos pela companhia americana.

Tudo aconteceu em 2007, dois anos depois de a JetBlue ter recebido os primeiros jatos Embraer E190, tendo sido a primeira operadora do modelo no mundo.

Quando chegou março daquele ano, a empresa dos Estados Unidos, que tinha feito a maior encomenda da história da Embraer com 100 unidades em um só pedido, começou a ter problemas com o jato.

Em alguns casos, os problemas tinham um padrão repetitivo de ocorrência. A Embraer entrou no caso e descobriu uma falha em um software da aeronave (um programa de computador que gerencia todos os sistemas do avião).

Para resolver o problema, cada avião teria que passar por uma manutenção, que iria durar entre um e dois dias nas instalações da própria JetBlue em Nashville, no Tennessee.

Não era nada catastrófico ou que afetasse a segurança de voo, mas precisaria ser consertado. Com isso, a JetBlue se viu numa situação difícil, já que os jatos Embraer E190 se tornavam a espinha dorsal de suas rotas médias, principalmente na costa leste.

Recorrendo ao antigo ERJ-145

Embraer ERJ-145 da ExpressJet © BriYYZ

Sem muitas opções na época, a empresa contratou a regional ExpressJet para cobrir os voos com os E190 que estariam sob reparos, conforme reportou o portal Aero-News Network.

Foram contratados quatro jatos ERJ-145 com capacidade de 50 passageiros, metade do que os E190 da JetBlue. Eles foram contratados com tripulação e manutenção inclusas, no chamado contrato de wet-leasing.

Os jatos rodaram por algumas semanas de março até abril na malha da JetBlue, mas com as cores da ExpressJet.

Os jatos da família ERJ da Embraer são os antecessores da família E-Jet, sendo que foram o projeto que colocou a fabricante brasileira em outro patamar, vendendo muito bem nos EUA. A última unidade desse lendário jato foi entregue recentemente:

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A
Sair da versão mobile