Embraer tem 1º lucro líquido após 3 anos de prejuízos trimestrais

Imagem: Embraer

Embora o mercado aéreo siga ainda bastante impactado pela pandemia da Covid-19, especialmente no que diz respeito às viagens internacionais, a fabricante brasileira Embraer mostra que tem feito um trabalho muito assertivo e eficiente para adequar suas operações às condições do momento.

Ao divulgar nesta sexta-feira, 13 de agosto, seus resultados referentes ao 2º trimestre de 2021 (2T21), a Companhia mostra que não apenas superou o patamar de resultado financeiro líquido anterior à crise, mas também voltou a ter Lucro Líquido Ajustado, algo que não ocorria há 3 anos, desde o 1º trimestre de 2018.

Veja a seguir os principais indicadores destacados pela Embraer em relação ao 2º trimestre e ao 2º semestre de 2021 (2S21).

• No 2T21, a Embraer entregou 14 aeronaves comerciais e 20 executivas (12 jatos leves e oito grandes), totalizando 23 jatos comerciais e 33 executivos (22 jatos leves e 11 grandes) entregues no 1S21. Após uma sólida atividade comercial no período, em todos os segmentos de negócio, a carteira de pedidos firmes (backlog) encerrou o trimestre em US$ 15,9 bilhões, o mesmo valor anterior à crise, no 1º trimestre do ano passado;

• A Receita líquida atingiu R$ 5,922 bilhões no 2T21, representando aumento de 107% em relação ao 2T20 com crescimento de dois dígitos em todos os segmentos de negócio. No 1S21, a Receita líquida cresceu 81% em relação ao mesmo período de 2020;

• No 2T21, excluindo-se os itens especiais, o EBIT e EBITDA ajustados foram de R$ 541,6 milhões e R$ 837,6 milhões, respectivamente, levando a margens ajustadas de 9,1% e 14,1%. No 1S21, a margem EBIT ajustada foi de 3,7% e a margem EBITDA ajustada foi de 9,0%;

• No 2T21, a Embraer apresentou Lucro líquido ajustado (excluindo-se impostos diferidos e itens especiais) de R$ 212,8 milhões e Lucro por ação ajustado de R$ 0,29. Este é o primeiro Lucro líquido ajustado trimestral da Companhia relatado desde o primeiro trimestre de 2018;

• No 2T21, a Embraer gerou Fluxo de caixa livre de R$ 215,7 milhões, resultando em um Uso de caixa livre de R$ (995,3 milhões) no 1S21. O Fluxo de caixa livre em ambos os períodos representou uma melhora significativa em relação ao 2T20 e ao 1S20, dada uma melhor rentabilidade e eficiência do capital de giro;

• A Companhia encerrou o trimestre com caixa total de R$ 12,5 bilhões e dívida líquida de R$ 9,2 bilhões;

• Divulgando suas estimativas financeiras e de entregas para 2021, a Embraer estima que as entregas de jatos comerciais fiquem entre 45 e 50 aeronaves e a de jatos executivos entre 90 e 95 unidades. No ano, a Receita líquida consolidada deve ficar entre US$ 4,0 a US$ 4,5 bilhões, com margem EBIT ajustada de 3,0% a 4,0%, margem EBITDA ajustada de 8,5% a 9,5% e Fluxo de caixa livre entre US$ (150) milhões e zero, sem fusões e aquisições ou desinvestimentos.

Para consultar o comunicado de divulgação de resultados da Embraer na íntegra, clique aqui.

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

O avião criado para jamais ser usado, mas que está de...

0
Recentemente, no dia 28 de julho de 2022, pousou na Base Aérea de Brasília o Boeing E-4B Nightwatch, uma variante do versátil Boeing 747