EUA não substituirá o Boeing 757 “Força Aérea Dois”

Os Boeings 757 mais bem protegidos do mundo não terão um substituto direto por um longo tempo, segundo planos da Força Aérea Americana (USAF).

Foto de Anna Zvereva

Enquanto no mercado civil o Boeing 757 está sendo trocado principalmente pelo Airbus A321neo, no mundo militar ele ficará sem um sucessor nos próximos anos. Segundo o portal DefenseOne, o jato que ficou conhecido como “Força Aérea Dois”, que é o indicativo de chamada quando o Vice-Presidente está a bordo, foi cortado do orçamento da USAF para 2022.

Foi inclusive avaliado um substituto, mas o custo seria alto ao ponto de não ser comportado no próximo orçamento. Ainda assim, uma data de aposentadoria do C-32, que é a designação oficial da USAF para o 757 modificado para o transporte VIP, com todas as proteções de um avião militar, não foi definida e o jato deve continuar a voar por mais tempo que os “Air Force One”, os dois 747-200 que saem de cena em meados de 2024/25 para entrada dos 747-8i.

O C-32 serve tanto para voar com o presidente, quanto com o vice e com ministros (chefes dos departamentos) dentro dos EUA e exterior, em missões menores e/ou que têm como destino locais com pistas mais curtas.

P060609PS-0111

Apesar de ser um avião de corredor único, como visto na foto acima, ele tem uma configuração VIP com menos de 80 assentos, dedicados ao chefe da missão, sua comitiva, equipe de segurança e jornalistas. O jato também conta com sistema de comunicação especial, alerta e anti-mísseis.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

No aeroporto de Brasília, dois cães são destaque nas descobertas de...

0
Apenas em 2022,  os auditores e analistas da Receita Federal no aeroporto de Brasília já interceptaram mais de 200 kg de droga.