Início Aviação Militar

FAB quer esquadrão extra com mais 26 caças Gripen por até R$10 bilhões

A chegada de mais caças Gripen na Força Aérea Brasileira (FAB) pode estar mais próxima do que se imagina, e aconteceria com um segundo esquadrão de caças.

Imagem: Saab do Brasil

Os novos caças se juntariam aos 36 da encomenda original e aos 4 anunciados em abril durante o Dia da Aviação de Caça. Os planos foram atualizados pelo Brigadeiro Carlos Baptista Júnior, Comandante da Aeronáutica, num café da manhã com jornalistas especializados hoje, em Brasília.

A negociação para os 26 caças adicionais já está em curso com a SAAB, e eles iriam para um segundo esquadrão, já que os 40 primeiros serão operados pelo Esquadrão Jaguar, em Anapólis, substituindo os atuais F-5E Tiger que já beiram os 50 anos de idade.

Este esquadrão também é conhecido por operar os caças Mirage III e Mirage 2000, e agora segue a tradição de caças em asa no formato delta com o Gripen.

O processo ainda está em negociação, de tal modo que não foi detalhado quantos dos 4 caças adicionais, e dos possíveis 26, serão montados no Brasil e a sua data de entrega, mas foi definido que o país só irá montar a versão monoplace (de um lugar apenas), deixando todas as oito aeronaves F-39F biplace, de dois lugares, com produção na Suécia.

Esta versão F-39F é destinada ao treinamento dos pilotos, e será exclusivamente usada pelo Brasil, já que o outro comprador, a própria Suécia, utilizará seus atuais Gripen JAS-93D biplace para este fim.

Considerando que o caça Gripen custa até $85 milhões de dólares cada, a preços atuais, o contrato para os 26 caças adicionais pode chegar em R$10 bilhões, mas descontos poderia ser esperados.

Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A
Sair da versão mobile