Países Baixos devem criar uma lista nacional de banimento de passageiros em aviões

Foto – DepositPhotos

Passageiros indisciplinados causam problemas para as companhias aéreas exibindo comportamento verbalmente agressivo ou, às vezes, até violência física, podendo levar a riscos à segurança, tanto a bordo quanto nos aeroportos. Esse tipo de comportamento, muitas vezes, tem um impacto significativo nos demais passageiros e na tripulação. Além disso, pode levar a desvios e atrasos nos voos.

Com isso em mente, a indústria aérea e o governo da Holanda já estão trabalhando juntos para enfrentar esse problema, mas pretendem fazer mais. Em 14 de dezembro, todas as partes envolvidas assinaram uma carta de intenções.

Entre outras coisas, eles examinarão como os passageiros podem ser mais efetivamente conscientizados das consequências de seu comportamento. Também analisarão como a equipe pode ser melhor treinada para lidar com tais incidentes e podem criar uma lista nacional de banimento.

O entendimento é que, qualquer pessoa que se comporte mal, em uma aeronave ou em terra, precisa ser tratada de maneira eficaz e é importante que a equipe na aeronave e no saguão de partida esteja ciente das opções disponíveis.

Além disso, companhias aéreas já mantêm listas individuais de proibição de voos para passageiros que se comportaram mal em suas aeronaves, no Aeroporto de Schiphol ou em outros aeroportos. Os signatários também investigarão se essas informações podem ser compartilhadas entre todas as companhias aéreas holandesas, sujeito, é claro, à legislação aplicável à privacidade.

Dentro do Grupo Air France-KLM, a KLM e a Transavia compartilham dados de passageiros colocados na lista de proibição de voos devido a comportamento inaceitável desde 2022. Os passageiros são proibidos de voar com qualquer uma das companhias aéreas por pelo menos cinco anos se se comportarem mal em um voo da Transavia ou KLM.

A KLM registrou um aumento de 100% no número de passageiros indisciplinados em comparação com 2019. Em 2023, uma média de 30 passageiros indisciplinados por mês foi registrada, em comparação com uma média de 15 em 2019. Cerca de 60% dos incidentes ocorreram a bordo, com 40% no saguão de partida. Em mais da metade desses casos, o álcool desempenhou um papel.

“Voar é uma das formas mais seguras de transporte. O fato de algumas pessoas se comportarem de maneira a comprometer a segurança de passageiros e tripulação é inaceitável. Infelizmente, isso também está se tornando mais comum. É importante que façamos um esforço conjunto com todas as partes envolvidas para reduzir ainda mais esse tipo de incidente“, disse Mark Harbers, Ministro de Infraestrutura dos Países Baixos.

“Como companhia aérea, a segurança de nossos passageiros e tripulação é uma prioridade máxima. Por esse motivo, não toleramos qualquer forma de agressão a bordo. As consequências do mau comportamento dos passageiros são severas; tem um impacto significativo em nossos passageiros e colegas. Nenhuma forma de agressão física contra nossa tripulação ou outros passageiros é tolerada. Infelizmente, temos que observar que o número de passageiros indisciplinados aumentou acentuadamente. O que vivenciamos no ar é um reflexo da sociedade mais ampla. Portanto, é encorajador que esse problema esteja sendo abordado conjuntamente pela indústria aérea e pelo governo”, afirma Leen van Duijn, Vice-Presidente de Serviços de Segurança da KLM.

A carta de intenções foi assinada hoje pelo Aeroporto de Schiphol, Transavia, KLM, TUI, Corendon Dutch Airlines, além da polícia (Real Marechaussee) e a promotoria pública. Os Países Baixos são o terceiro país na Europa a assinar uma declaração como esta, seguindo o exemplo da Noruega e da Irlanda. A questão também está em destaque na agenda internacional, também nas companhias aéreas europeias e internacionais.

Pela Assessoria de Imprensa da KLM

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Voos de carga da Ethiopian vão aterrissar em mais um destino...

0
Ethiopian Airlines Group ganhou a autorização para operar serviços regulares de carga de e para a Colômbia, mais especificamente a partir