Piloto brasileiro fala sobre colisão evitada em voo de Vitória a Confins

Imagem meramente ilustrativa

Sabemos que na aviação existem muitos e eficientes procedimentos e sistemas que buscam reduzir ao máximo os riscos à segurança dos voos. Um deles é o TCAS (Traffic Collision Avoidance System, ou Sistema de Prevenção de Colisão de Tráfego) que, embora comum na aviação, tornou-se muito mais conhecido do público em geral depois da trágica colisão aérea do Boeing 737 da Gol Linhas Aéreas com o jato executivo Embraer Legacy 600 em 2006.

E nesta semana, um piloto brasileiro publicou um vídeo apresentando uma experiência própria na qual, ao contrário do caso do voo da Gol, o TCAS estava corretamente em funcionamento e garantiu a eliminação do risco de uma possível colisão no ar.

É claro que para que dois voos cheguem à situação de estarem em risco de colisão, uma sequência de falhas anteriores ocorre até que o TCAS chegue a assumir a função de ser uma barreira para interromper a cadeia de problemas que leva a um acidente aéreo. Entretanto, no vídeo, o piloto aborda especificamente os aspectos relacionados à situação prática do alerta dado a ele pelo sistema e de suas ações aos comandos do avião comercial.

Acompanhe a seguir a gravação, publicada pelo piloto Luis Fernandino, parceiro do AEROIN, em seu canal “Flight and Drums!!!!” no YouTube, no qual ele também comenta sobre uma comissária que se feriu, sem gravidade, em virtude da manobra evasiva que foi necessária, e sobre detalhes dos treinamentos dos pilotos para lidar com essa situação e dos procedimentos necessários durante e após o risco de colisão.

O vídeo, como o próprio Fernandino ressalta, serve ainda como uma boa fonte de conhecimento para que passageiros entendam sobre este assunto caso já tenham lidado ou venham a lidar com situação semelhante.

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias