Uma das maiores top models do mundo tem uma relação curiosa com a aviação

A super modelo Cara Delevingne. Imagem: Wikimedia Commons

Uma das mais importantes top models do mundo tem uma curiosa relação com a aviação que poucos sabem. Cara Delevingne foi batizada com esse nome porque o pai gostou do título de uma revista de bordo da companhia aérea irlandesa Aer Lingus.

O pai, Charles Delevingne, é um rico corretor imobiliário inglês e filho de um visconde na Terra da Rainha. Ele costumava voar com frequência entre Londres e Dublin, capital da Irlanda e adorou o nome da revista de bordo da Aer Lingus, Cara.  “Lembro que costumava ir e voltar muito para Dublin e o nome da revista Aer Lingus era Cara. Adorei o nome”, disse ele ao jornal irlandês Irish Times.

A Aer Lingus, de propriedade da IAG, empresa que também controla a British Airways e a Iberia, suspendeu a distribuição da revista de bordo durante a pandemia. De acordo com o portal View from the Wing, a Aer Lingus, emitiu nota em que agradece ao pai da modelo pela inspiração. “Ficamos encantados ao saber que nossa popular revista de bordo foi a inspiração por trás do nome de Cara Delevingne”.

Amor pelos aviões

Modelo, atriz e cantora, a jovem de 29 anos foi listada entre as modelos mais bem pagas do mundo e como uma das “criadoras do século 21” pelos britânicos. Ela já se envolveu em diversas polêmicas, algumas relacionadas a aviões, já que disse, várias vezes, que adora fazer sexo durante voos. “Eu fiz muito sexo em aviões,” Cara se gabou. “Mas eu sempre fui pega. É super difícil não ser pega.”

Em uma entrevista em 2014, ela contou que uma vez reclamou com a comissária de bordo sobre um passageiro que a estava observando enquanto mantinha relações sexuais em uma viagem aérea. “Fiz sexo na cadeira do avião e tinha um cara assistindo. Acabamos contando à aeromoça o que estava acontecendo”, contou. “Tipo, ‘Esse cara fica olhando para nós. Você pode dizer a ele para parar?’”.

Ela também já foi questionada sobre brigas e outras confusões a bordo de aeronaves, mas nada que a fama não perdoe.

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias