Airbus vai avaliar como a supercondutividade contribui para a descarbonização da aviação

Imagem: Airbus

A Airbus UpNext, uma subsidiária integral da Airbus, e o CERN, o Laboratório Europeu de Física de Partículas, estão lançando um projeto para avaliar como a supercondutividade pode contribuir para a descarbonização de futuros sistemas de aeronaves. O demonstrador Super-Condutor para Aviação com Baixas Emissões (SCALE) visa promover a adaptação e adoção de tecnologias supercondutoras em sistemas de distribuição elétrica aerotransportada.

“Em sua pesquisa, o CERN expande os limites da ciência e da engenharia e faz parceria com a indústria para permitir a inovação, com impacto ambiental positivo”, disse Raphael Bello, Diretor de Finanças e Recursos Humanos do CERN. “Nossas tecnologias têm potencial para serem adaptadas às necessidades de soluções futuras de transporte e mobilidade limpa, conforme demonstrado por este acordo com a Airbus. Esta parceria é apenas um primeiro passo em nossa jornada com o líder europeu em aviação e mostra o quanto valorizamos a excelência da indústria de nossos Estados Membros”

“Nossa função na Airbus UpNext é explorar todo o potencial das tecnologias aplicadas a futuras aeronaves e fazer parceria com os líderes mundiais para se preparar para esse futuro. A parceria com um instituto de pesquisa líder como o CERN, que trouxe ao mundo algumas das descobertas mais importantes da física fundamental, ajudará a expandir os limites da pesquisa aeroespacial limpa enquanto trabalhamos para tornar a aviação sustentável uma realidade”, disse Sandra Bour-Schaeffer , CEO da Airbus UpNext.

“Já estamos desenvolvendo um demonstrador de supercondutividade chamado ASCEND (Advanced superconducting and Cryogenic Experimental powertrain Demonstrator) para estudar a viabilidade dessa tecnologia para aeronaves elétricas e híbridas. Combinar o conhecimento obtido de nosso demonstrador e as capacidades únicas do CERN no campo de supercondutores cria uma parceria natural”, prosseguiu ela.

O demonstrador SCALE combina a experiência do CERN em tecnologias supercondutoras com as capacidades da Airbus UpNext em design e fabricação de aeronaves inovadoras. Os primeiros resultados são esperados no final de 2023.

As iniciativas buscam desenvolver e testar em condições de laboratório, um trem de força criogênico supercondutor genérico otimizado (~ 500kW) até o final de 2025. O SCALE será projetado, construído e testado pelo CERN usando as especificações Airbus UpNext e a tecnologia CERN. O demonstrador consiste em um link CC (cabo e criostato) com dois condutores de corrente. O sistema de resfriamento é baseado em hélio gasoso.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Aeroporto de Cascavel faz buracos na cerca para fotógrafos registrarem pousos...

0
Desde novembro a gestão do espaço instalou buracos na cerca operacional do aeroporto que estão reservados e sinalizados para aos fotógrafos.