Avião presidencial mexicano tem até esteira de corrida; veja fotos do seu interior

Há algumas semanas, o AEROIN falava sobre o Boeing 767-300ER conhecido como “Bandit”, que pertenceu ao bilionário Roman Abramovich, mas foi colocado à venda pela intermediadora Global Jet após o magnata comprar um avião mais moderno. No anúncio, despontavam fotos inéditas, e de tirar o fôlego, do interior do avião.

No entanto, o grande jato do russo não está sozinho no catálogo da empresa de compra e venda de aeronaves, pois junto a ele está outro widebody VIP: o Boeing 787 VIP do Governo mexicano, cujo presidente Andrés Manuel López Obrador (AMLO), se recusa a usar.

O mandatário mexicano defende, desde antes de ser eleito, que a compra da aeronave foi um mau negócio para o povo mexicano, já que, segundo ele, foram gastos milhões de dólares num avião opulento, que poderiam ter sido melhor empregados em favor do povo. Polêmicas à parte, o fato é que o jato está à venda há anos e não se logrou, em todo esse tempo, encontrar um comprador para ele.

No anúncio da aeronave, publicado pela GlobalJet, tornam-se conhecidas algumas características da aeronave mexicana, mas as fotos são a cereja do bolo, por mostrarem o conforto com que se viaja na aeronave.

A publicação não revela o preço da aeronave, mas a sugestão da mídia mexicana é de que ela valha em torno de US$ 200 milhões. Ofertas em montantes menores do que esse já teriam sido recebidas e rejeitadas pelo governo.

Diferente do jato Boeing 767 de Abramovich, que servia a um empresário multibilionário, o avião do México tem outro apelo. Por pertencer ao governo, ele não tem quartos de hóspedes, mas apenas uma suíte para o chefe de estado e assentos de classe executiva para a comitiva. Ao todo, a capacidade é para 80 passageiros. Uma curiosidade é que o gabinete do presidente possui uma esteira para que o mandatário possa se manter em forma.

A vantagem ao comprador é que o avião tem muito poucos ciclos. São, ao todo, apenas 881 pousos e decolagens e 1.741 horas de voo, já que tem estado parado há vários anos. É um jato relativamente novo, fabricado em 2010 e que conta com apoio técnico da Boeing, que está no vizinho Estados Unidos.

A desvantagem é que a configuração do jato é voltada para voos presidenciais e, portanto, muitas mudanças no leiaute deverão ser realizadas, caso o comprador o queira para outro fim. Na verdade, essa necessidade de uma nova customização conta em desfavor do jato e é tida por muitos como um dos motivos pelos quais o avião tem poucos interessados.

Outro detalhe que encarece a aeronave é o fato dela estar equipada com instrumentos de comunicação dedicados a atender a um chefe de estado. Além disso, um sistema de entretenimento de bordo da Satcom e conexão com a internet Wi-Fi estão à disposição dos viajantes.

Veja abaixo mais fotos dessa aeronave totalmente VIP.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias