Com medo da Rússia, Lufthansa faz mudança em voos para a Ucrânia

Uma das principais companhias européias, a Lufthansa, tem sentido o efeito da tensão crescente entre Rússia e Ucrânia.

Os dois países têm estado em conflito desde 2014, quando o presidente ucraniano pró-Rússia Viktor Yanukovych foi retirado do cargo e a Rússia, em seguida invadiu a península da Criméia, num conflito que acabou vitimando 298 civis que estavam a bordo do Boeing 777 do voo Malaysia Airlines 17, derrubado por míssil.

Apesar das mudanças, o receio da Lufthansa de agora não é sobre um avião ser alvo de militares, mas sim da segurança da sua tripulação. Por consequência, um voo que sairia de Frankfurt para Kiev no domingo, decolou apenas na segunda de manhã.

Trajetória do voo reprogramado da Lufthansa – RadarBox

A companhia aérea relatou que “problemas operacionais” causaram o atraso de mais de 12 horas, mas a Reuters apurou que, na verdade, a tripulação não poderia mais pernoitar em Kiev por causa do risco de um combate que pode começar a qualquer momento.

Desta forma o voo foi atrasado para que os tripulantes pudessem fazer o bate e volta, sem sair do avião. Não está detalhado se a decisão de não pernoitar veio da própria Lufthansa ou se foi algum pedido por parte do seus tripulantes ou sindicatos. Os próximos voos que seriam pernoite também estão reprogramados para sair pela manhã, nos próximos dias.

Outras empresas do grupo Lufthansa também seguirão a prática, incluindo a Austrian Airlines e a Swiss.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias