Companhia ‘raiz’, famosa na TV por aviões antigos, compra seu primeiro jato

Uma das companhias aéreas mais famosas do mundo, e com um histórico polêmico, decidiu finalmente comprar seu primeiro jato.

Douglas C-54 (DC-4) © Buffalo Airways

A Buffalo Airways é uma empresa aérea canadense, mas que não tem nada da etiqueta ou pontualidade tradicionais do Canadá. Muito pelo contrário.

A empresa é baseada em Yellowknife, nos Territórios do Noroeste, e opera em condições extremas de gelo, frio e neve. E para voar nesses territórios, possui apenas aviões “parrudos”, lendas da aviação que enfrentam qualquer desafio.

Sua frota atualmente é composta de aviões Douglas DC-3, Curtiss C-46 Comando, Lockheed L-188 Electra, Beechcraft King Air e Baron, Aero Commander 500 (Twin 690C), Cessna 310, Canadair CL-215 e o AirTractor FireBoss.

Para quem é da aviação, ver essa lista dá arrepios e enche os olhos, já que são todos aviões com muita história e venerados pelos aviadores. Para quem tem menos familiaridade, pode lembrar de filmagens da Segunda Guerra mostrando o Douglas DC-3 e os combates a incêndio feitos pelo CL-215 e o FireBoss, e para os brasileiros, os Electras da Varig.

Além destes aviões, a empresa operou o Douglas DC-4 e o Lockheed P-3 Orion (o mesmo usado pela Força Aérea Brasileira e derivado do Electra).

Quase todos esses aviões são das décadas de 40 a 60, do início do boom da aviação, e praticamente não são operados no mundo. A Buffalo, por exemplo, é a única no mundo a ainda ter voos regulares com o DC-3, que continua sendo o avião comercial com maior tempo de operação: 86 anos!

Apesar de tudo, manter uma frota desta não é fácil e nem barato, e a empresa coleciona um histórico relevante de acidentes. São ao menos 11, considerando-se apenas os cadastrados no site AviationSafetyNetwork, muitos deles graves, apesar de sem fatalidades.

O exotismo da Buffalo fez com que ela tivesse uma série de TV própria, chamada Pilotos do Gelo (Ice Pilots NWT), que foi ao ar em vários países. No Brasil, é transmitida pelo History Channel, lançada na esteira da série Caminhoneiros do Gelo:

O principal negócio da Buffalo é o transporte de cargas em locais remotos, muitas das vezes com contratos governamentais ou para a indústria (principalmente da exploração de minérios). Mas ela também transporta passageiros e faz combate a incêndio, tendo uma frota versátil.

Agora, a renovação da frota finalmente chegou, com o anúncio do seu primeiro jato: um Boeing 737-300SF (cargueiro convertido), com capacidade para 19 toneladas.

De matrícula atual 2-ESKA, ele foi fabricado em 1986 para transporte de passageiros e passou por várias companhias aéreas dos EUA e da Europa. Estava estocado desde 2017, e agora está sendo posto para voar pela Buffalo, que se limitará a operar com ele em pistas pavimentadas, o que não ocorre com os outros aviões, que frequentemente utilizam aeroportos com menos estrutura.

Um vídeo mostrando a aeronave foi publicado por Mikey McBryan, filho do fundador da Buffalo Airways, que afirma que, por enquanto, é só uma amostra bem rapidinha para anunciar a novidade. Acompanhe a seguir as imagens:

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Após pouso duro e 1 mês fora de serviço, Boeing 747...

0
Felizmente para a companhia aérea e para os que admiram os Boeings 747, o equipamento pôde ganhar os céus novamente.