Esquadrilha da Fumaça desenha e escreve no céu na chegada do coração de Dom Pedro I a Brasília

Imagem: Força Aérea Brasileira

Dois dias após ter feito duas apresentações para mais de 60 mil pessoas no domingo na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP), o Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) da Força Aérea Brasileira (FAB), ou Esquadrilha da Fumaça, já estava na capital federal para um momento especial.

Na terça-feira, dia 23 de agosto, em Brasília (DF), a cerimônia de chegada do coração de Dom Pedro I, em comemoração ao Bicentenário da Independência do Brasil começou no Palácio do Planalto, com honras de Chefe de Estado.

O órgão, conservado em uma cápsula de vidro, foi recebido pelo Presidente Jair Bolsonaro e pela Primeira-Dama, Michelle Bolsonaro.

Próximo ao Palácio do Planalto, os aviões da Esquadrilha da Fumaça escreveram no ar “Independência 200 Anos” e, ainda, desenharam um “coração”, em homenagem à relíquia.

Em seguida, o coração do imperador Dom Pedro I voltou para o Palácio do Itamaraty, onde ficará exposto até o dia 8 de setembro.

No Itamaraty, a cerimônia de recebimento foi presidida pelo Ministro das Relações Exteriores, Embaixador Carlos Alberto Franco França, e contou com a presença do Comandante da Força Aérea Brasileira, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, dentre outras autoridades.

Em seu discurso, o Embaixador Carlos França enalteceu o apoio da FAB e falou sobre a importância das comemorações relativas aos 200 anos da Independência.

“É com muita emoção que damos continuidade hoje, no Ministério das Relações Exteriores, as atividades de celebração do Bicentenário da Independência do Brasil. Para isso, nada mais simbólico do que recebermos o coração da figura mais representativa para todos os brasileiros daqueles dias que culminaram com a Proclamação de nossa Independência”, frisou.

O evento no Itamaraty teve a apresentação da Orquestra Sinfônica da Força Aérea Brasileira (OSFAB). O concerto foi aberto com uma composição de Dom Pedro I: “Abertura para a Independência do Brasil”, peça sinfônica que foi apresentada com sucesso de público primeiro no Brasil e depois em Paris, na França, em 30 de outubro 1831, quando lá esteve D. Pedro I.

Em seguida, os músicos da FAB interpretaram “Libertas Brasil – Fantasia sobre o Hino da Independência do Brasil”, que tem arranjo do Maestro Joaquim França Ramos e cuja obra foi idealizada por Malcolm Forest. O concerto foi encerrado com a execução do Hino da Independência do Brasil, que também é uma composição de Dom Pedro I.

No final da cerimônia, o Tenente-Brigadeiro Baptista Junior ressaltou o significado da participação da FAB nesse evento histórico para o Brasil.

“Se eu tivesse que resumir tudo em uma palavra, seria ‘orgulho’. Orgulho por ser Comandante dessa Força Aérea, que foi responsável por transladar o coração de Dom Pedro I ao Brasil. Orgulho por ver a Esquadrilha da Fumaça, abrilhantando o deslocamento do coração até o Palácio do Planalto. E na abertura da exposição, no Palácio do Itamaraty, ver uma belíssima apresentação da nossa Orquestra Sinfônica, que emocionou a todos”, pontuou o Oficial-General.

Segundo o Regente da OSFAB, Tenente Músico Paulo Rezende, a celebração foi uma oportunidade para apresentar um repertório com composições do primeiro Imperador do Brasil. “Dom Pedro I, além de Imperador era músico, compositor e instrumentista, tocava clarinete e violoncelos”, comentou.

Informações da Força Aérea Brasileira

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Avião da Azul passa por problemas nos comandos em voo de...

0
Durante o voo e cruzeiro, os pilotos identificaram uma falha no comando da aeronave e decidiram desviar para outro aeroporto.