Início Empresas Aéreas

Gol Linhas Aéreas volta a ter prejuízo bilionário; veja como foi o 2º trimestre da companhia

A Gol Linhas Aéreas apresentou seus resultados do 2º trimestre de 2022 (2T22) nesta quinta-feira, 28 de julho, que mostram que o lucro líquido de R$ 2,61 bilhões do 1º trimestre agora se reverteu em um prejuízo líquido de R$ 2,85 bilhões, ou R$ 2,61 bilhões em termos de prejuízo líquido recorrente.

Resultado líquido do 2º trimestre de 2022 – Fonte: Apresentação de Resultados Gol Linhas Aéreas

O prejuízo também se mostra uma reversão em relação ao mesmo período de 2021 (2T21), quando o resultado foi um lucro de R$ 642,9 milhões. No caso de 2019, livre de efeitos da pandemia, a Gol registrou prejuízo de R$ 194 milhões.

Resultados Líquidos

2T19: prejuízo de R$ 194 milhões

– 1T21: prejuízo de R$ 2,5 bilhões
2T21: lucro de R$ 642 milhões
– 3T21: prejuízo de R$ 2,5 bilhões
– 4T21: prejuízo de R$ 2,81 bilhões

– 1T22: lucro de R$ 2,6 bilhões
2T22: prejuízo de R$ 2,85 bilhões

Veja a seguir o que a companhia comenta sobre este mais recente trimestre encerrado.

Comentários da Administração

Os resultados do segundo trimestre demonstram a consistente recuperação da demanda em um trimestre historicamente caracterizado pela baixa sazonalidade no setor aéreo brasileiro. Os investimentos em tecnologia e oferta de produtos são essenciais para ampliar a posição de liderança da GOL, tanto com a atual retomada do público corporativo como no aumento da oferta de novas rotas para os Clientes que buscam destinos a lazer.

– Eficiência na Gestão dos Yields

Em abril, a gestão dinâmica dos yields possibilitou que a GOL compensasse o aumento no custo do combustível. Em maio e junho, concomitantemente com a transição para a baixa temporada, a GOL ajustou seu nível de capacidade para estabilizar as tarifas no curto prazo. Com isso, o yield médio por passageiro no trimestre cresceu 66,2% em relação ao 2T21, atingindo um recorde de R$43,00 centavos.

Um dos principais pontos fortes da GOL sempre foi a disciplina na gestão da capacidade, devido ao seu modelo flexível de frota única, que permite à Companhia ajustar rapidamente a oferta de voos com a demanda projetada em cada mercado. Isso, combinado com a contínua recuperação da produtividade por meio do aumento da utilização e da maior eficiência de sua frota operacional, posicionam a GOL para ser bem-sucedida em sua estratégia de expansão de margem.

“Uma das sinergias da reintegração da Smiles é a otimização na venda de assentos e consequentemente crescimento da fidelização do Cliente. Ampliamos essa vantagem com a retomada dos investimentos em tecnologia e análise de dados, o que nos permite aumentar a precisão dos yields. Como resultado, alcançamos o maior yield de todos os tempos, mesmo no trimestre historicamente mais fraco do ano,” disse Eduardo Bernardes, Diretor Vice-Presidente de Receitas.

– Aceleração da Renovação da Frota com o 737-MAX como Pilar na Redução de Custos

Nesse trimestre, a Companhia recebeu três novas aeronaves Boeing 737-MAX 8, elevando a participação desse modelo para 24% da frota total. A manutenção do ritmo de transformação da frota possibilitará que a GOL encerre o ano com 44 aeronaves 737-MAX 8, ou 33% do total, com incremento de produtividade e maior eficiência de custos.

Essas novas aeronaves são parte fundamental na estratégia da GOL para crescimento, consistência e proximidade, incluindo sua meta para alcançar a neutralidade de carbono até 2050, por apresentarem 15% de economia de combustível, 16% menos emissão de carbono, 40% menos ruído e maior alcance comparativamente ao Boeing 737-NG.

A Companhia efetuou a devolução programada de uma aeronave Boeing 737-NG e firmou contratos para devolução antecipada de quatro outras aeronaves, anteriormente previstas para acontecer no segundo semestre de 2022.

A GOL projeta encerrar o ano com 92 aeronaves 737-NG, sendo que três delas convertidas para modelo cargueiro dedicadas para a parceria com a MELI, as quais deverão gerar aproximadamente R$100 milhões de receita incremental na GOLLOG. A primeira aeronave cargueira iniciará as operações no final de agosto/22.

“Estamos confiantes que o aumento na utilização da frota operacional, que gerou ganhos de 27,5% em produtividade nesse trimestre, combinado com a economia de combustível das aeronaves de nova geração 737-MAX nos propiciará ampliarmos nossa liderança em custos unitários e mantermos um crescimento disciplinado da nossa oferta para o segundo semestre,” comentou Celso Ferrer, presidente da Gol Linhas Aéreas.

– Expansão da Malha

A Companhia continua a expandir sua malha, principalmente em aeroportos com alta demanda corporativa. A recuperação desse mercado a partir de abril/22 propiciou o aumento de aproximadamente 20% e 40% na oferta de voos, respectivamente em Congonhas (São Paulo) e Santos Dumont (Rio de Janeiro).

Para os mercados regionais, a malha da GOL inaugurou quatro novas bases nesse trimestre: Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Passo Fundo e Uruguaiana, todos com conexão em Guarulhos (São Paulo), além de anunciar dois novos destinos, Ipatinga e Uberaba, ambos em Minas Gerais.

No mercado internacional, foram retomados os voos para os destinos Estados Unidos, Argentina, Paraguai e Bolívia, que haviam sido suspensos durante a pandemia.

Especificamente para a Argentina, cuja demanda fortaleceu em função do câmbio, foi anunciada a “ponte aérea” entre São Paulo (Guarulhos) e Buenos Aires (Aeroparque) em parceria com a Aerolineas Argentina, com a qual a GOL mantém acordo de codeshare há mais de 10 anos. Os voos diretos passarão a ter facilidades e benefícios exclusivos a partir do 4T22.

“O crescimento consistente em nossos resultados do segundo trimestre reflete a expansão dos nossos serviços em mercados regionais, o aumento na presença em mercados premium, e a criação de novas oportunidades de geração de receitas complementares. Conquistamos isso ao mesmo tempo em que preservamos a flexibilidade do nosso modelo de frota única que, combinado com nossa experiente Equipe de Águias, possibilitaram nossa adaptação à dinâmica do mercado em evolução de maneira rápida e eficiente,” comentou Eduardo Bernardes.

– Gestão de Liquidez e Fortalecimento de Margens

A Companhia encerrou junho/22 com liquidez de R$4,0 bilhões. Desconsiderando a variação cambial, o patamar de dívidas financeiras manteve-se estável quando comparado com o período pré-pandemia, com amortizações de curto prazo significativamente menores em relação aos seus concorrentes e sem vencimentos significativos para os próximos dois anos.

A relação dívida líquida (excluindo o bônus perpétuo) sobre o EBITDA UDM ajustado alcançou 9,5x em 30/06/2022, representando a menor alavancagem financeira entre os pares. A GOL manteve as classificações de crédito Fitch B-, Moody’s B3, S&P CCC+.

Os custos de manutenção necessários para as novas entregas de 737-MAX, conforme o plano de aceleração da renovação da frota, serão cobertos pelas linhas de financiamento já obtidas junto a contrapartes e por meio da utilização do saldo de depósitos de manutenção.

A GOL não possui dispêndios significativos para adiantamentos de aquisição de aeronaves (“PDPs”) associados com a aquisição de novas aeronaves 737-MAX.

Richard Lark, Diretor Vice-Presidente Financeiro, disse: “Nós priorizamos a gestão de passivos e preservamos ativos durante a pandemia, pois acreditamos que estaríamos em uma posição privilegiada para focar na recuperação de nossas margens e na ampliação de nossas vantagens competitivas em custo. Não possuímos vencimentos significativos no curto prazo e conduziremos a GOL gradativamente para o fortalecimento do seu balanço com desalavancagem financeira.”

– Contínuo Foco na Experiência do Cliente

A GOL acredita que a experiência do Cliente será fundamental para o crescimento da participação de mercado pós-pandemia, pois os passageiros preferirão voar com empresas aéreas nas quais confiam quanto a Segurança e Atendimento. No segundo trimestre a Companhia registrou importantes avanços na prestação de serviços aos seus Clientes.

Em maio/22, as salas VIP dos embarques internacional e doméstico (GOL Premium Lounge) no aeroporto de Guarulhos foram reabertas e o serviço de bordo em voos domésticos foi reestabelecido. Os voos internacionais contam com o serviço de bordo completo desde novembro/21. O NPS doméstico da GOL aumentou para 44 no 2T22.

Em junho, a GOL recebeu um prêmio inédito de empresa aérea com o melhor Wi-Fi na América do Sul pela APEX (Airline Passenger Experience Association), baseado em uma pesquisa que coletou opiniões anônimas de passageiros de cerca de 1 milhão de voos, realizados por mais de 600 empresas aéreas ao redor do mundo.

A partir de julho/22, os Clientes Smiles podem utilizar os aplicativos de mensagem do Facebook e o WhatsApp de forma totalmente gratuita em nos voos da GOL com internet disponível.

A parceria entre GOL e American Airlines (AA) foi ampliada para que os Clientes dos programas de fidelidade de ambas as empresas passem a desfrutar de mais benefícios e comodidade. Por exemplo, o benefício Top Tier para Clientes AAdvantage e Smiles Diamante, viajando para destinos operados entre GOL e American Airlines transforma toda a viagem em uma experiência única, desde a compra do bilhete até o destino final.

Em operação desde fevereiro/20, o acordo de codeshare existente entre GOL e AA representa a maior malha de rotas das Américas e permite que os Clientes da Companhia se conectem convenientemente a mais de 40 destinos nos Estados Unidos.

“À medida que buscamos fortalecer ainda mais nossa liderança de mercado no ambiente pós-pandemia, temos aprimorado a experiência dos Clientes nos voos operados pela GOL. Nós seguimos investindo em melhores produtos e tecnologia que resultarão em uma nova experiência para viajar. No próximo ciclo de crescimento, buscaremos uma maior excelência no relacionamento com Clientes e Colaboradores,” comentou Carla Fonseca, Diretora de Experiência do Cliente.

– Reincorporação da Smiles, o Programa de Fidelidade da GOL

O 2T22 comprovou a melhoria contínua em todos os indicadores de desempenho da Smiles, potencializados pelas sinergias operacionais e financeiras capturadas após a conclusão da incorporação.

Conforme antecipado, a reincorporação da Smiles propiciou oportunidades para geração de novas receitas, e o programa de fidelidade atingiu o recorde de 20 milhões de Clientes e um faturamento de aproximadamente R$1,0 bilhão no segundo trimestre, mais do que dobrando o registrado no 2T21 e confirmando o 5º trimestre consecutivo de aumento no faturamento.

Somando as sinergias fiscais, o capital de giro e a gestão de inventário unificado, foram capturados aproximadamente R$1,3 bilhão em caixa, resultando em um payback de menos de 1 ano sobre o preço de aquisição. A Companhia planeja ainda obter cerca de R$3 bilhões de fluxo de caixa incremental, decorrentes de outras sinergias nos próximos anos.

“O desempenho da Smiles vem superando as nossas expectativas a cada trimestre, demonstrando o sucesso dos movimentos assertivos de fortalecimento de balanço e da estrutura de capital liderados pela GOL. A Smiles além de promover alto valor agregado para as operações da Companhia, continua sendo um ativo de grande valor não onerado,” concluiu Richard Lark.

– Iniciativas ESG

A GOL continua avançando em diversos projetos e iniciativas com foco em ESG. O Comitê de Diversidade, Equidade e Inclusão (DEI), composto por uma seleção diversificada de colaboradores do seu Time de Águias, realiza discussões aprofundadas sobre temas DEI, estudando e propondo ações para aumentar a diversidade em cargos de liderança.

As políticas e os programas de ética e compliance da GOL revisam as políticas organizacionais anticorrupção e as diretrizes legais e de compliance, fortalecendo as capacidades da Companhia para prevenir, detectar e responder a violações.

A GOL permanece focada no seu comprometimento em alcançar a neutralidade de carbono até 2050. O processo de certificação IEnvA Stage 2 fornece uma validação completa do Sistema de Gestão Ambiental (SGA) da Companhia em um nível equivalente ao da ISO 14001. Em 2020, a GOL foi a primeira companhia aérea do Brasil e uma das 14 do mundo a conquistar o Estágio 1, uma certificação desenvolvida pela IATA para empresas aéreas.

O programa “MeuVooCompensa”, iniciativa fruto da parceria entre GOL e MOSS, completou um ano em Junho/22, mantendo 2 rotas 100% compensadas de forma inédita – Recife/Fernando de Noronha e Congonhas/Bonito, além da possibilidade do Cliente compensar voluntariamente as emissões do trecho voado.

A GOL é uma das empresas mais transparentes em iniciativas ESG.

Com informações da Gol Linhas Aéreas