Governo quer a volta dos voos comerciais internacionais em Congonhas

O aeroporto central da cidade de São Paulo está cada dia mais próximo de ter mais voos, e agora fala-se até da volta de serviços internacionais diretos, como antigamente.

Atualmente, já existe uma iniciativa para a realização de voos internacionais saindo de Congonhas, mas para voos executivos. O plano mais atual, no entanto, é estender isso e retomar os voos de passageiros que existiram até 1985, sobretudo com destino a cidades da América do Sul, como Buenos Aires.

Para isso, além dos requisitos técnicos da ANAC, será necessário ter um posto alfandegário da Polícia Federal e um tributário da Receita Federal, além de um posto da Vigilância Sanitária e Agropecuária. A pista em si já é capaz de receber aviões que voem direto para Buenos Aires, Montevidéu, Assunção e Santiago do Chile, como o Airbus A320neo, Boeing 737 MAX e Embraer E195-E2.

“O turismo de lazer, de negócios, e até de fim de semana pode ser explorado com essa internacionalização. Voo direto para uma região central tem um valor muito grande para o passageiro, no mundo inteiro temos esse modelo” ,afirmou Ronei Glanzmann, Secretário de Aviação Civil durante um fórum em Buenos Aires, ao Jornal Estadão.

A ideia é seguir o modelo do Aeroparque em Buenos Aires, que conta com alguns voos internacionais, inclusive para o Brasil. Outros aeroportos menores que adotam o modelo é o LaGuardia, em Nova Iorque, e o London City, em Londres.

Um prazo não foi dado pelo governo, mas seria algo “nos próximos anos”, a depender claro do processo de concessão do Aeroporto de Congonhas e da continuidade do governo atual à frente do executivo, após as eleições.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias