Imagem por novo ângulo mostra cauda do Antonov An-225 no hangar atingido na Ucrânia

Imagem: Antonov Airlines

Até que alguém possa acessar o Aeroporto Gostomel, em Kiev, em meio à dominação russa no local, ainda não será possível saber a extensão exata dos danos que sofreu o maior avião comercial do mundo, o Antonov An-225 Mriya, atingido no último final de semana e declarado como “destruído” por fontes internas na Antonov Company.

Entretanto, uma nova imagem que passa a circular nesta terça-feira, 1º de março, volta a gerar muitos comentários e expectativas entre todos aqueles que torcem para que este grande ícone da história da aviação esteja ao menos em condições economicamente viáveis de ser reparado para um dia voltar ao céu.

Conforme a captura aérea vista a seguir, pela primeira vez é possível notar a cauda do An-225 na parte traseira do hangar atingido pelo ataque, o que segundo muitas pessoas especulam, poderia ser considerado um sinal de que o avião não foi tão severamente atingido.

Aproveitando-se da imagem, houve até um usuário das redes sociais que sobrepôs à foto um desenho em vista superior da planta do projeto do Antonov 225, afirmando que “a maior parte da fuselagem está sob a seção não danificada do hangar”.

Apesar da montagem vista acima, vale ressaltar dois aspectos importantes:

– primeiro: a captura aérea da imagem é oblíqua, e não uma vista perfeitamente vertical, o que distorce a relação de proporcionalidade de dimensões com a planta do projeto do An-225. O avião tem 84 metros de comprimento, enquanto o hangar tem cerca de 94 metros, o que resultaria em apenas 10 metros de espaço livre à frente se ele estivesse perfeitamente alinhado ao final do hangar;

A dimensão aproximada do hangar, medida através da linha amarela – Imagem: Google Earth

– segundo: não se tem qualquer informação sobre o que atingiu o hangar e o avião (um míssil, uma bomba, ou outro artefato) e nem qual foi o ângulo de entrada (se bastante vertical ou muito mais horizontal, se pela frente do hangar ou lateralmente, etc).

Portanto, por mais que estejamos na torcida para que não tenha sido o fim deste que é um equipamento único e de grande importância para a economia mundial, é necessário ter cautela ao fazer afirmações sobre o estado da aeronave, principalmente após a imagem inicial do final de semana, que mostrava um incêndio de grandes proporções bem no centro da aeronave (caso você não tenha visto ou queira conferir novamente aquela imagem, pode acessar clicando aqui).

Até o momento, o que se tem de informações vindas da Ucrânia, conforme apresentamos nos últimos dias, é que:

– fontes gerenciais na Antonov Company deram a “confirmação do Antonov An-225 tendo sido destruído”;

– o principal comandante da aeronave, Dmytro Antonov, afirmou que “as chances são de 99% que o Myria esteja destruído”; e

– uma nota oficial da Antonov Company afirma que a empresa “não tem condições de reportar qual a condição técnica da aeronave até que seus técnicos a inspecionam”.

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias