Lufthansa bane 100 judeus de um mesmo voo e é acusada de antissemitismo

A empresa aérea Lufthansa está sendo alvo de uma séria acusação, após banir 127 judeus de um voo e eles serem acompanhados por policiais armados na Alemanha.

© Marvin Mutz

Um contingente de mais de 100 judeus ortodoxos, viajando em grupos separados, seguia de Nova Iorque até Budapeste, com conexão em Frankfurt, quando, ainda na primeira perna da viagem, uma confusão foi registrada a bordo. Segundo relatos, alguns dos religiosos teriam se recusado a usar a máscara facial, ainda obrigatória na Lufthansa, por seguir as leis alemãs.

O avião aterrissou em Frankfurt e os judeus deveriam pegar um outro avião rumo a Budapeste, conhecido destino religioso judaico e onde está a maior sinagoga da Europa. Mas isso não ocorreu, pois, quando foram fazer as conexões, todos os 127 judeus, e não apenas aqueles indisciplinados, foram colocados de canto e impedidos de embarcar.

Como resultado, o voo para Budapeste acabou decolando com apenas 30 pessoas a bordo, segundo a própria Lufthansa informou posteriormente. O voo LH-1334 partiu praticamente vazio, já que o Airbus A321 tem uma capacidade para até 200 passageiros.

Relatos em vídeo, confirmados pelo site One Mile At a Time mostram uma discussão entre um passageiro e uma funcionária da Lufthansa no saguão do aeroporto de Frankfurt. O homem afirma que “todos estão pagando pelo erro de um”, alegando não se tratava de uma decisão justa por parte da empresa.

A situação foi agravada com a chegada da polícia, que apareceu rapidamente e que exacerbou as discussões com os judeus. Não houve violência, mas o fato de os policiais estarem armados com submetralhadoras H&K MP5 levou algumas pessoas a classificarem a cena como um abuso. Não demorou muito para surgir a tese de que eles estavam diante de um ato de segregação, tocando diretamente na ferida que existe no povo judeu desde a época ca II Guerra.

A Lufthansa, por sua vez, negou qualquer tipo de discriminação, mas confirmou o banimento por 24 horas dos passageiros e informou que está investigando toda a situação.

Um ponto importante que vale ressaltar é que, em Frankfurt e em outros aeroportos da europa, é comum ver policiais armados com armas deste tipo, patrulhando o aeroporto, independente da situação e sem que isso pudesse configurar um abuso.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Agora há mais voos com aviões da Embraer para a Venezuela...

0
Na quinta-feira, dia 26 de janeiro, a dominicana Sky High Aviation Services ampliou seus serviços para a Venezuela, operando todos os dias