Início Empresas Aéreas

Não um, mas dois dos maiores aviões da Azul fizeram voos ao Uruguai na final da Libertadores

A final da Copa Libertadores da América 2021, na qual o Palmeiras se sagrou campeão frente ao Flamengo, movimentou o aeroporto de Montevidéu, no Uruguai, de uma maneira jamais vista. Por ocasião do evento, a Azul acabou por usar dois exemplares do Airbus A330-900neo, a maior aeronave de sua frota atual.

Um dos voos extra já estava programado desde o início de outubro e esteve disponível para torcedores dos dois clubes. O outro, foi agendado apenas em meados de novembro, fretado por uma agência para levar familiares de jogadores e torcedores do Flamengo, depois que a empresa portuguesa Euroatlantic teve seu pedido de voo rejeitado, por falta de autorização para operar em dois países terceiros.

Em voos regionais na América do Sul, a Azul historicamente utiliza aeronaves de menor porte como os jatos Embraer e Airbus A320. O emprego do A330, para 298 passageiros, ilustra o tamanho da demanda por ocasião do certame futebolístico.

À época do anúncio do primeiro voo, o gerente de planejamento de malha da Azul dizia: “Uma final brasileira na Libertadores é sempre sinônimo de muito entusiasmo para os torcedores e coincidentemente em novembro retomamos nossa operação para Montevidéu. Como nosso voo regular que parte de Porto Alegre já está com alta ocupação, estamos colocando este voo adicional com nosso maior avião, para fazer jus ao tamanho da paixão dos palmeirenses e flamenguistas”.

Imagem: Radarbox
Sair da versão mobile