Combustível de aviação terá novo reajuste e alta ultrapassará 70% no ano

A Petrobras anunciou mais um reajuste no preço médio do querosene de aviação (QAV) em 15 refinarias, de 3,9% no dia 1º de julho, em relação ao valor de 1º de junho.

Com isso, o combustível acumula alta de 70,6% de 1º de janeiro a 1º de julho, segundo cálculo da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), com dados da Petrobras.

De acordo com a empresa, os valores são à vista, sem tributos. No ano passado, o aumento do preço do QAV foi de 92%, em comparação com 2020.

Mais uma vez o reajuste mensal no preço do QAV comprova os desafios que as associadas ABEAR enfrentam diariamente com a escalada dos custos estruturais, principalmente com o QAV. É importante que haja uma política pública para reduzir o preço do combustível, que no Brasil chega a ser até 40% mais caro do que no exterior. E é por isso que a ABEAR tem ampliado sua interlocução com o Poder Público, especialmente com a mesa de diálogo permanente com o governo que já foi iniciada”, afirma o presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Avião Boeing 737-800 Ryanair

Aérea deve pagar indenização após chá quente cair em menina de...

0
Uma xícara de chá, derramada sobre uma criança de oito anos a bordo de uma aeronave que ia de Veneza para Londres, levou a Ryanair