Delta fecha parceria com banco brasileiro para compensar emissões de carbono com SAF

Airbus A350 – Imagem: Delta

A Delta Air Lines e o banco brasileiro BTG Pactual anunciam acordo para uso de combustível sustentável de aviação (Sustainable Aviation Fuel – SAF) para compensação de emissões de carbono em viagens aéreas corporativas, marcando a primeira parceria da Delta para uso do SAF na América Latina.

O acordo representará uma redução de emissões de aproximadamente 30 toneladas de CO2, em comparação com o uso do combustível de aviação convencional, passo importante para o contínuo avanço do objetivo do BTG Pactual em neutralizar suas emissões. As viagens aéreas de funcionários foram responsáveis ​​por 35% das emissões do BTG em 2019 e por 15% em 2020.

A parceria reforça o compromisso de ambas as empresas em liderar e contribuir para um futuro mais sustentável, ao ajudar a reduzir emissões decorrentes de voos realizados por clientes corporativos da Delta. O acordo também é importante para criar demanda para o uso do SAF, contribuindo para reduzir a dependência do setor de aviação do combustível convencional. 

“Agradecemos ao BTG Pactual por ser o primeiro parceiro a firmar um acordo para combustível de aviação sustentável na América Latina. Sua equipe de viagens, junto com a equipe de vendas da Delta no Brasil, defendeu este acordo como parte de seu compromisso com um futuro mais sustentável”, disse Luciano Macagno, Diretor Executivo da Delta para a América Latina, Caribe e Sul da Flórida.

“Incentivamos mais empresas brasileiras e latino-americanas a se juntarem a nós nessa jornada em direção a um mundo em que possamos viajar de forma sustentável e em que todos possam fazer um pouco mais pelo meio ambiente e pela comunidade onde vivem e à qual atendem”, completou Luciano.

Para Rafaella Dortas, diretora de ESG do BTG Pactual, a parceria com a Delta é uma ação inovadora no gerenciamento das emissões de carbono, e se soma às diversas iniciativas de sustentabilidade do banco. “Em 2019 e 2020, compensamos 100% das emissões diretas de carbono e emissões indiretas de viagens aéreas, transporte de funcionários e resíduos gerados em nossas operações. Em 2020, mais um grande passo foi dado para compensar a pegada de carbono, incluindo também a compensação pela emissão de escritórios de agentes autônomos ligados ao BTG”, disse Rafaella.

Produzido a partir do refinamento de substâncias ou resíduos orgânicos, como óleo de cozinha usado e resíduos recicláveis, o SAF é um elemento importante para reduzir as emissões de carbono em viagens aéreas, em comparação com o combustível tradicional.

O SAF pode reduzir as emissões de carbono em até 80% em comparação com o combustível de aviação à base de petróleo, mas ainda não é produzido em escala suficiente para atender à demanda por viagens aéreas, com custo superior em três a cinco vezes do que o combustível convencional. 

Informações da Delta

Arthur Gimenes Prado
Experiência em TV, rádio e internet como repórter esportivo, comentarista, colunista e redator. Estudante do Ensino Fundamental e criador de conteúdo digital no Instagram, tendo também um canal no YouTube onde mostra experiências abordo e viajando pelo Brasil.

Veja outras histórias

Embraer destaca colaboração com investigação no acidente do Ipanema e foco...

0
Em resposta oficial à crítica aberta feita pelo Sindag, a fabricante brasileira declara que qualquer conclusão é precipitada e especulativa.