Droga: Passageiro ousado tenta pegar voo com autopeças na mala em Fortaleza

Imagem: Polícia Federal

Passageiros sempre inovam para tentar burlar as inspeções de segurança nos aeroportos e embarcar com materiais ilícitos, muitas vezes drogas. Entretanto, com o sistema de inteligência e investigação, estes viajantes quase sempre acabam sendo pegos. Na ânsia por tentar algo diferente, alguns golpistas acabam chamando mais a atenção do que deveriam.

Num desses casos, registrado no último dia 31 de dezembro, a Polícia Federal realizou a apreensão de sete peças automotivas recheadas com cocaína, no aeroporto internacional de Fortaleza, no Ceará. Elas estavam na mala de um passageiro de voo com destino a Serra Leoa, com escala em Portugal, que foi preso em flagrante por tráfico internacional de drogas.

Desconfiada ao ver o material, totalmente incomum de ser levado na mala, a segurança do aeroporto chamou a polícia, que constatou o ilícito. Como é possível observar a imagem acima, a polícia necessitou de uma serra para poder cortar o aço e ter acesso ao material ilícito

Aeroporto do Galeão

Na última quarta-feira, dia 5 de janeiro, o Serviço de Vigilância Aduaneira da Alfândega da Receita Federal no Aeroporto Internacional do Galeão, em operação conjunta com a Polícia Federal, apreendeu 12 pacotes com aproximadamente 12kg de maconha em voo vindo de Manaus.

A droga estava oculta na mala despachada de um passageiro, em pacotes envoltos com fibra sintética e foi detectada em operação de raio-X. O passageiro foi identificado, recebeu voz de prisão e foi encaminhado à Delegacia da Polícia Federal. A pena pelo crime de tráfico internacional de drogas pode chegar a 15 anos de reclusão.

“A atuação da Receita Federal na repressão ao tráfico de entorpecentes, visa principalmente a proteção da sociedade no que diz respeito à proteção da saúde e da vida das pessoas”, diz a entidade.

Com informações da Polícia Federal e Receita Federal

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias