Início Aviação Militar

Força Aérea participa do lançamento do edital para o Veículo Lançador brasileiro

Centro de Lançamento de Alcântara

Nesta última quarta-feira, dia 3 de agosto, em apoio ao avanço tecnológico da Indústria Aeroespacial, a Força Aérea Brasileira (FAB) participou da cerimônia de apresentação do Edital de Subvenção Econômica para Veículo Lançador de Satélites (VLS), realizada no Memorial Aeroespacial Brasileiro (MAB), em São José dos Campos (SP).

Um veículo de lançamento ou veículo lançador é um foguete espacial usado para transportar uma carga útil, a partir da superfície da Terra para o espaço exterior. Um sistema de lançamento inclui o veículo de lançamento, a plataforma de lançamento e outras infraestruturas.

Habitualmente a carga útil é um satélite artificial colocado em órbita, mas alguns voos espaciais são suborbitais enquanto que outros possibilitam a nave espacial de escapar completamente da órbita terrestre.

O projeto conta com o envolvimento do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), da Agência Espacial Brasileira (AEB) e com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), empresa pública do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

A finalidade do chamamento público é o desenvolvimento de, ao menos, dois protótipos de Veículo Lançador com capacidade de lançarem, no mínimo, 5 kg de carga-útil na órbita equatorial, com a realização das operações de lançamento a partir do território nacional.

As empresas interessadas terão até o dia 26/09 para enviarem as propostas. Entre os critérios de avaliação de mérito estão: grau de inovação; experiência e conhecimento das empresas; consistência e clareza das propostas; impacto e risco tecnológico.

Representando o Comandante da Força Aérea Brasileira, o Diretor-Geral do  Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Tenente-Brigadeiro do Ar Maurício Augusto Silveira de Medeiros, fez a abertura do evento, que contou com a presença do Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Paulo Cézar Rezende de Carvalho Alvim, do Presidente da Finep, Waldemar Barroso Magno Neto, do Presidente da AEB, Carlos Augusto Teixeira de Moura, além de Oficiais-Generais da Aeronáutica e outras autoridades.

Imagem: Força Aérea Brasileira

O Ministro Paulo Alvim ressaltou que o anúncio da chamada é mais que um aporte de recursos – são ações estruturadas complementares que representam o fechamento de um ciclo de retomada sustentável do Programa Espacial Brasileiro.

“Não existe país que queira ser considerado desenvolvido que não tenha uma indústria Aeroespacial desenvolvida. A pandemia nos atrapalhou bastante, mas em momento algum paramos ou perdemos a perspectiva de onde queríamos chegar. E se chegamos até aqui é porque muitos brasileiros não abandonaram a Missão Aeroespacial Brasileira”, disse.

“A Indústria Aeroespacial tem significativo valor agregado. Quando um produto desses é desenvolvido, várias outras empresas se beneficiam dessa cadeia produtiva, e além disso, coloca o Brasil no mesmo patamar de outros países, que já estão com essa indústria bastante desenvolvida”, complementou o Tenente-Brigadeiro Medeiros.

Na ocasião, o Presidente da AEB, Carlos Moura, entregou ao Tenente-Brigadeiro Medeiros, o Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE) para o período de 2022 a 2031.

PNAE

Resultado de um esforço conjunto, que se iniciou em 2019, com a instituição do Grupo de Trabalho GT-PNAE, por meio da Portaria AEB nº 107, de 13 de maio de 2019, surgiu o PNAE 2022-2031.

Nesse processo, atuaram, propositiva e construtivamente, diversas entidades públicas e privadas do Sistema Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (o SINDAE): Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e unidades vinculadas, como o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE); Defesa, Aeronáutica e seus centros e institutos; associações representativas dos setores industriais e de ciência.

Informações da Força Aérea Brasileira