Ouça os pilotos e controladores na ocorrência do pouso de barriga do Boeing 757 na quarta-feira

O Boeing 757 acidentado e, no destaque, o momento do pouso de barriga

Como visto durante a semana, o Boeing 757-200F (cargueiro) de matrícula N977FD da companhia norte-americana FedEx foi pousado de barriga no Aeroporto de Chattanooga, nos Estados Unidos, devido a um problema com o trem de pouso minutos após decolar do local (para assistir novamente ao vídeo do momento do pouso, clique aqui).

Agora, uma gravação das comunicações nas frequências de tráfego aéreo mostra como foram as conversas entre os pilotos e os controladores de tráfego aéreo desde o momento em que houve o problema com o avião até o pouso de barriga.

No vídeo a seguir, é possível adicionar tradução automática de legendas para o português através das configurações no canto inferior direito do player. Abaixo da gravação, veja mais informações sobre a ocorrência.

O Boeing 757 decolou da pista 20 para o voo FX-1376 e os pilotos interromperam a subida a 5.000 pés, relatando um pequeno problema que exigia que eles trabalhassem nas listas de verificação do fabricante da aeronave (são listas que indicam procedimentos para identificar problemas e, caso possível, resolvê-los, ou medidas a serem tomadas se não for possível resolvê-los).

Cerca de 15 minutos depois, a tripulação indicou que retornaria a Chattanooga e que precisava de algum tempo para executar as listas de verificação, nenhuma emergência foi declarada.

Outros 5 minutos depois, a tripulação relatou que ainda precisava de tempo para abaixar os flaps, então estariam prontos para uma aproximação ao pouso, e outros 4 minutos depois, relatou estar pronta para a aproximação. Informou, ainda, que estava tendo problemas de controle de voo, mas que não era necessária assistência.

Durante a aproximação, a tripulação solicitou abortar o procedimento, informando que agora havia uma indicação de trem de pouso inseguro. Posteriormente, informou que não conseguiria desocupar a pista após o pouso, mas que conseguiu baixar o trem de pouso e que declarava emergência.

A tripulação posteriormente solicitou uma passagem baixa sobre a pista para que o aeroporto verificasse se o trem de pouso estava baixado. Após a passagem, tanto o pessoal no solo quanto na torre de controle relataram que não conseguiram ver nenhum trem de pouso baixado. O trecho exato das comunicações da aproximação, passagem baixa e aviso de observação de trem não baixado podem ser vistos a seguir:

Os serviços de emergência foram alertados para um “pouso sem trem de pouso” no nível de alerta 3. A tripulação avisou que iria parar o pouso, pois tinha cerca de uma hora de combustível restante.

A aeronave se posicionou para pouso sem trem de pouso na pista 20, então avisou que queria outra órbita (trajetória de espera em voo). Cerca de 10 minutos depois, a tripulação interceptou novamente o localizador da pista 20 e o pouso de barriga foi completado cerca de 85 minutos após a decolagem, mas ultrapassando o final da pista e parando no gramado. Os pilotos evacuaram a aeronave sem ferimentos.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram. Conheça também nosso perfil no Instagram e nosso canal no WhatsApp.

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Aeroporto de Cruzeiro do Sul (AC) passará a ter voos diurnos...

0
A iniciativa da GOL é um passo significativo na ampliação e modernização do transporte aéreo no estado, atendendo a uma demanda da população.