Ucrânia adapta e usa míssil antirradiação em caça soviético MiG-29

As adaptações utilizadas pelos ucranianos após a invasão da Rússia chegaram a um patamar inesperado, com uso de mísseis americanos antirradiação instalados caças da era soviética.

Divulgação – Força Aérea da Ucrânia

O AGM-88 HARM é um dos mísseis mais avançados do mundo no que se trata de combater ameaças antiaéreas, como lançadores de mísseis que podem fechar um espaço aéreo a partir do solo.

A sigla HARM é em inglês para “Míssil Anti-Radiação de Alta Velocidade”, já que ele bate 1,84 vezes a velocidade do som e é feito para destruir radares, se guiando pela ondas de rádio emitidas pelo mesmo enquanto estão buscando um alvo no ar.

Este míssil tem sido um “limpador” de espaço aéreo para os EUA já há algum tempo, principalmente a partir de plataformas como o Boeing EA-18 Growler, feito a partir do F-18 Super Hornet, modificado com sensores e equipamentos que causam interferência nos radares inimigos e, por fim, ele os abate com o AGM-88.

Piloto ‘Juice’ segura o míssil HARM em seu MiG-29 – Divulgação

No entanto, esse míssil foi desenhado para ser usado em caças americanos e da OTAN, como o Eurofighter e Tornado, e não em caças soviéticos, o qual ele ajudaria a destruir.

Mas com a Invasão da Ucrânia tudo mudou, e a resistente Força Aérea ucraniana não apenas continua a voar com os caças MiG-29, mas também os adaptou para que usassem o HARM contra baterias antiaéreas russas, liberando o seu espaço aéreo.

As primeiras evidências surgiram semanas atrás, quando destroços do HARM foram encontrados em solo e, agora, a própria Força Aérea divulgou vídeos do caça disparando os mísseis.

Outro detalhe que chama atenção no vídeo abaixo é o uso de GPS civis, algo que a Rússia fez na Síria e repetiu agora na Invasão. A baixa disponibilidade do sistema russo de navegação, o GLONASS, instalado nos aviões da era soviética, seria o motivo do uso de navegadores civis que usam a rede americana GPS, com os Garmin 66 e 660 vistos no cockpit do caça MiG-29:

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias