Início Aviação Militar

Uzbequistão não vai devolver os aviões Embraer Super Tucano para o Talibã

O governo do Afeganistão, agora comandado pelo Talibã, pediu o retorno das aeronaves Embraer A-29 Super Tucano, mas isso foi negado pelo país vizinho.

Divulgação – Talibã

Após a saída desastrosa dos EUA do Afeganistão, em agosto do ano passado, o Talibã rapidamente retomou o poder no país e capturou várias aeronaves Embraer A-29 Super Tucano que tinham sido compradas pelo governo americano para, exatamente, combater os talibãs.

Apesar de capturarem estes aviões, o Talibã encontrou a maioria deles inutilizados, além da falta de experiência para operá-los, fazendo com que as aeronaves não estejam voando. Ainda assim o Talibã pediu que o Uzbesquistão devolva duas aeronaves, que escaparam do Afeganistão durante a retomada do poder, quando seus tripulantes se abrigaram no país vizinho.

No entanto, uma negativa formal veio agora, já que o governo uzbeque afirmou, através do seu porta voz, Ismatulla Irgashev, que vai manter o equipamento em seu poder, após acordo com os EUA. Ele diz que o Talibã já foi avisado da decisão. “O governo americano pagou por eles para financiar um governo afegão anterior. Então acreditamos que é de total responsabilidade de Washington lidar com esses aviões“, afirmou o funcionário do governo, segundo reporta o portal Eurasianet.

Ao todo o país tem 46 aeronaves saídas do Afeganistão, sendo helicópteros Mil Mi-17 de fabricação russa, Sikorsky UH-60 Blackhawk, Pilatus PC-12, Cessna C208/AC208 Caravan e o A-29 fabricado pela Embraer nos EUA.

Dois A-29 voam no Afeganistão © USAF
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A