Após problemas e cancelamentos, país africano bane um avião específico da Delta

Com muitas reclamações de passageiros e voos afetados, um país da África decidiu por banir exatamente um das dezenas de jatos 767 da Delta Air Lines.

Divulgação – Delta

A raiva vem de passageiros ganenses que tiveram vários voos atrasados ou cancelados nos últimos meses, principalmente por uma aeronave em específico, o Boeing 767-300ER da Delta de matrícula N195DN.

Fabricado em 1997, o jato sempre pertenceu à mesma empresa, que tradicionalmente opera as aeronaves por toda sua vida útil ou próximo disso, contando com o time de manutenção para mantê-las com uma alta taxa de operacionalidade apesar da idade mais avançada, onde problemas são mais recorrentes.

O trabalho da Delta sempre foi bem elogiado e o ambiente de trabalho premiado como um dos melhores lugares para se trabalhar nos EUA. Inclusive, não existem muitas reclamações de cancelamento da companhia no Brasil, ao contrário do histórico ruim que a American Airlines deixou com seus 767 no país até a aposentadoria.

Mas isto não tem se aplicado à Gana, que no último dia 19 enviou uma carta à Delta informando sobre o banimento do N195DN dos voos para o país. O documento revelado pelo site Ghana Web, mostra que ocorreram, nos últimos 30 dias, 3 incidentes com o avião, sendo dois causados por desbalanço de combustível nas asas e um por outro problema técnico que fez com que a aeronave voltasse para Nova Iorque logo após decolar rumo a Acra, capital do país africano.

Passageiros, inclusive um americano, reclamaram às autoridades dos EUA sobre um desses incidentes, que teve um atraso de várias horas, seguido por um cancelamento sem acomodação em hotéis até o próximo voo.

O governo de Gana também pede que a aeronave na rota Nova Iorque – Acra – Nova Iorque seja trocada, tirando todos os 767 do país.

No passado a Delta já deixou de voar para Libéria após muitas reclamações do governo local por causa da aeronave e Gana já tinha criticado a British Airways por trocar o 747 pelo 777 nos voos para o país. Mais recentemente, protestou sobre a troca de aeroporto de destino em Londres, o que foi revertido posteriormente.

Atualmente, o avião mais próximo do 767 na Delta, em termos de capacidade, é o Airbus A330-200 com três assentos a menos, mas, tem uma quantidade maior de poltronas na Executiva além de uma classe Econômica Premium.

A Delta não usa ele nesta rota exatamente por não ver demanda para um perfil mais “premium” de passageiros, que estariam dispostos a pagar por um voo com assentos mais confortáveis e serviço de bordo diferenciado e, por causa disso, mantém o A330 em rotas com público de maior poder aquisitivo e demanda mais forte, como para o Brasil, onde opera para São Paulo a partir de Atlanta.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Passageira seminua cospe em comissários por querer upgrade para classe executiva

0
O caso teria ocorrido após a passageira querer um upgrade para um assento na Classe Executiva, enquanto voava de Abu Dhabi para Mumbai.