Empresas aéreas e de voos privados registraram fluxo maciço de reservas de voos para o Catar

Imagem ilustrativa: Andrew Thomas / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Nas últimas semanas, companhias aéreas e empresas de voos charter / privados registraram um fluxo maciço de reservas de voos para o Catar para os meses de novembro e dezembro.

Devido ao torneio mais prestigiado do futebol mundial, a Copa do Mundo da FIFA, que acontecerá de 20 de novembro a 18 de dezembro de 2022 no país árabe, são esperados milhões de torcedores.

A entidade que rege o futebol mundial, a FIFA, divulgou dados indicando mais de 23 milhões de pedidos de ingressos para o torneio no Catar e confirmou 3 milhões de pedidos de ingressos somente para a final. A demanda já superou a oferta há muito tempo.

À medida que o torneio se aproxima, as opções de voos diminuem devido à alta demanda de viagens. Os preços para a viagem de última hora acabam sendo muito caros também. Essa alta demanda de voos para a Copa do Mundo levou até ao adiamento da famosa Maratona de Dubai.

O tão esperado torneio elevará a visibilidade do Catar no cenário internacional, ao mesmo tempo em que adicionará aproximadamente US$ 18 bilhões à sua economia. Com uma estimativa de 1.300 voos diários para o país durante todo o mês, será fascinante testemunhar os operadores aéreos globais fazendo o possível para levar um número recorde de visitantes. A Qatar Airways, por exemplo, cortará alguns de seus voos para possibilitar a chegada de empresas aéreas de outros países.

A FIFA indicou que os principais solicitantes de ingressos para a partida da final são torcedores que moram na Argentina, Brasil, Inglaterra, França, México, Arábia Saudita e EUA.

Os organizadores planejam executar estratégias meticulosas para aliviar o congestionamento no Aeroporto Internacional de Hamad, no Catar, projetado para atender de 8.000 a 10.000 passageiros por hora.

No entanto, devido ao aumento dos movimentos de voos que levam ao congestionamento do aeroporto, os slots e o estacionamento podem se tornar um desafio durante o período da Copa do Mundo. Aeroportos adjacentes como Dubai, Kuwait City, Mascate, Riad e Jeddah receberão alguns voos antes de seguir para Doha. Até o antigo aeroporto de Doha, ao lado do atual, será utilizado. Assim, jatos particulares serão muito úteis.

O CEO da KlasJet, uma empresa europeia de jatos executivos, diz: “A reserva tardia de voos fretados pode resultar em uma aeronave indo para um aeroporto mais distante do local desejado ou deixando o cliente e depois voando para outro local que tenha espaço de estacionamento para a aeronave, aumentando assim o custo.”

Em 2010, o governo sul-africano teve que pedir desculpas aos torcedores que perderam a partida da semifinal da Copa do Mundo por causa do caos no estacionamento de aeronaves no Aeroporto Internacional King Shaka.

O aumento na demanda por jatos particulares e voos fretados, portanto, não é surpresa, pois o torneio se aproxima rapidamente. Os operadores de jatos particulares relataram um aumento nos pedidos de organizações e indivíduos que desejam evitar longas esperas e atrasos de voos nos aeroportos e chegar aos seus destinos.

Além disso, o voo privado também pode se tornar parte de toda a experiência, permitindo que os passageiros desfrutem de refeições personalizadas e entretenimento a bordo. Essa tendência levou ao aumento da popularidade dos voos fretados com a Copa do Mundo de 2018 realizada na Rússia, dobrando o mercado de fretamento de jatos particulares do recorde brasileiro da Copa do Mundo de 2014.

“Os voos de jatos particulares são mais confortáveis ​​do que os voos comerciais por causa de seus assentos espaçosos, interiores luxuosos e atendentes pessoais. Os voos oferecem flexibilidade, exclusividade e confidencialidade, permitindo que os passageiros se concentrem nas experiências que desejam.” afirma o CEO da KlasJet.

Devido ao massivo aumento do número de pedidos de voos privados, parece que haverá uma demanda novamente bastante alta para este torneio da Copa do Mundo.

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

DECEA registra cerca de 310.000 operações não tripuladas com drones em...

0
O ano de 2022 somou mais de 310.000 operações não tripuladas, o que demonstra o desenvolvimento acelerado desse novo modal aéreo.