Força Aérea está treinando guerra com 50 aeronaves de uma vez até o fim de novembro

KC-390 e caças F-5 – Imagem ilustrativa – Fonte: Força Aérea Brasileira

A Força Aérea Brasileira (FAB) informa que iniciou, nesta segunda-feira (08), o Exercício Conjunto (EXCON) Tínia, em Santa Maria (RS). A terceira edição do treinamento, que ocorre até o dia 26 de novembro, reúne mais de 1.200 militares, 50 aeronaves e 24 Unidades Aéreas e de Infantaria, em uma simulação de guerra convencional, também chamada de guerra regular, ou seja, quando há um conflito entre forças armadas de dois países ou alianças de Nações.

A atividade, coordenada pelo Comando de Preparo (COMPREP), tem o objetivo de adestrar os militares no cumprimento de Ações de Força Aérea em cenário tático, fictício e dinâmico, simulando um conflito regional.

Concomitantemente à terceira edição do EXCON Tinia, ocorrerão o Adestramento Conjunto Meridiano – Fase Ibagé, sob coordenação do Exército Brasileiro (EB), e a Operação Escudo Antiaéreo, sob responsabilidade do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), ambos realizados entre os dias 10 e 14 de novembro de 2021.

A FAB emprega no treinamento aeronaves de diversas aviações, como os caças A-1 AMX, A-29 Super Tucano e F-5M; as aeronaves de Transporte KC-390 Millennium, C-105 Amazonas, C-130 Hércules e C-95 Bandeirante; o helicóptero H-60L Black Hawk; e as Aeronaves Remotamente Pilotadas RQ-450 e RQ-900. Além disso, haverá o emprego dos Grupos de Defesa Antiaérea em aproveitamento do EXCON Tínia, integrando a Operação Escudo Antiaéreo, operando o sistema de míssil IGLA-S.

A-1 AMX da FAB

Força Aérea Brasileira
A-29 Super Tucano – Imagem: Força Aérea Brasileira

F-5EM

Força Aérea Brasileira
KC-390 – Imagem: Força Aérea Brasileira

C-105-Amazonas-Força-Aérea-Brasileira-FAB
C-105 Amazonas – Imagem: Força Aérea Brasileira

C-130 Hércules – Imagem: Força Aérea Brasileira

C-95 Bandeirante

Os participantes serão adestrados em diversas ações, como Assalto Aeroterrestre, Ataque, Controle e Alarme em Voo, Defesa Antiaérea, Escolta, Reabastecimento em Voo (REVO), Reconhecimento Aeroespacial, Ressuprimento Aéreo, entre outras. No âmbito do Adestramento Conjunto Meridiano e da Operação Escudo Antiaéreo, os militares serão treinados em ações como Apoio Aéreo Aproximado, Defesa Antiaérea, Infiltração Aérea e Reconhecimento Aeroespacial.

O Comandante da Ala 4 e Diretor do Exercício, Coronel Aviador Aly Cesar Charone, explica que a concepção do treinamento possui foco total na atividade operacional. “Esperamos que as simulações empregadas no adestramento consigam atingir seus objetivos: identificar as potencialidades e as necessidades de aperfeiçoamento no processo de preparo das Unidades subordinadas ao COMPREP nas mais diversas possibilidades de atuação”, acrescenta.

F-5 – Imagem: Força Aéreas Brasileira
Imagem: Força Aéreas Brasileira

Biossegurança

Durante o EXCON Tínia foi adotado o plano de biossegurança para prevenção de contaminação por COVID-19. Dentre as principais medidas está a implementação do sistema de check-in eletrônico nos auditórios, refeitórios e veículos de transporte coletivo, com a finalidade de monitoramento de pessoal e mitigação de possíveis surtos. O uso de máscara cobrindo nariz e boca também é obrigatório durante o deslocamento e permanência na Base Aérea de Santa Maria (BASM).

A Comissão de Biossegurança mantém, ainda, monitoramento rígido e detalhado da evolução dos novos casos suspeitos ou confirmados de COVID-19, por meio de Boletins Diários de Situação. Além disso, um Hospital de Campanha está instalado para atendimento exclusivo ao efetivo do EXCON.

Informações da Força Aérea Brasileira

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Estatal venezuelana Conviasa anuncia voos inéditos para a China com escala...

0
A partir de 30 de julho, a Conviasa operará voos entre a Venezuela e a China com escala técnica no Irã. A estatal terá um serviço direto entre