Airbus e Qatar serão obrigadas a divulgar comunicações internas sobre a polêmica do A350

Avião Airbus A350-1000 Qatar Airways
Imagem: Juke Schweizer / CC BY-SA 4.0, via Wikimedia

O tribunal britânico que lida com a disputa bilionária entre a fabricante europeia Airbus e a empresa aérea árabe Qatar Airways pediu para que as duas partes entreguem informações confidenciais que ajudem numa análise mais completa sobre o caso.

Desta forma, a Airbus foi ordenada a divulgar as discussões que teve com várias companhias aéreas que operam suas aeronaves A350 sobre possíveis correções para um defeito de pintura que poderia expor uma camada especial de proteção contra raios na fuselagem do avião.

O mesmo tribunal deu à Qatar Airways um prazo de 13 semanas para enviar qualquer correspondência que tenha com a Qatar Civil Aviation Authority (QCAA) sobre o aterramento do Airbus A350, informou o site britânico Simple Flying.

Fontes afirmam que o tribunal está preocupado com o fato de a Airbus não ter divulgado publicamente todas as soluções de reparo propostas para o defeito de pintura, assim como a Qatar não proveu todas as evidências de sua comunicação a QCAA, que teria levado à revogação dos Certificados de Aeronavegabilidade das aeronaves.

O juiz também ordenou que ambas as partes cheguem a um acordo sobre como compartilhar dados detalhados sobre o assunto para que os próprios especialistas do Catar possam revisar o defeito. O caso ainda deve se arrastar por todo esse ano.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Boeing vai despedir 2.000 trabalhadores, mas ainda vai crescer no ano

0
A Boeing está se preparando para demitir 2.000 trabalhadores, principalmente de cargos corporativos. A empresa aeroespacial norte-americana