Avião da Gol tem problema na turbina e voa monomotor; ouça o que disse o piloto

Um Boeing 737 da Gol Linhas Aéreas sofreu um incidente nesta semana, fazendo com que a aeronave tivesse uma falha em um dos motores, e desviasse para outro aeroporto com o mesmo desligado.

Pouso do avião em Petrolina acompanhado dos bombeiros – Foto de cortesia de Edilson Carlos

A ocorrência aconteceu com o Boeing 737-800 registrado com a marca PR-GXM, enquanto realizava o voo G3-1875 de Juazeiro do Norte, no Ceará, para Guarulhos, em São Paulo, na última sexta-feira, 31 de dezembro. De acordo com o The Aviation Herald e também dados da plataforma de rastreamento de voos RadarBox, a aeronave decolou às 17h07 transportando 182 pessoas.

Entretanto, durante a fase de subida, a 23 mil pés (cerca de 7 km) de altitude, a tripulação identificou uma falha no motor direito. Diante da anormalidade, os pilotos iniciaram os procedimentos previstos nos manuais do Boeing e optaram por desviar o voo até Petrolina, no interior de Pernambuco.

Motor 1 (à esquerda na foto) parado durante o táxi, no pouso não foi utilizado o reverso

Na frequência de Controle de Tráfego Aéreo, é possível ouvir o pedido de urgência com os dizeres “pan-pan, pan-pan, pan-pan” e alguns alertas sonoros do Boeing ao fundo. Em seguida, o piloto informa falha de motor e avisa que está iniciando a descida após o apagamento do motor (quando o motor é desligado).

Confira abaixo a conversa do piloto com os controladores de tráfego aéreo, compartilhada como cortesia pelo colega Edilson Carlos:

O Boeing 737 envolvido no incidente pousou em segurança em Petrolina, e até o momento da publicação ainda permanecia em solo desde o dia 31 de dezembro. Uma segunda aeronave do mesmo modelo, registrada como PR-GTQ, decolou nos primeiros minutos de 2022, de Petrolina para Guarulhos, para cumprir o voo que o PR-GXM não conseguiu fazer.

Aeronave sendo acompanhada pelos Bombeiros em Petrolina

Logo após o incidente, começaram a circular imagens nas redes sociais, mostrando o “extrato” obtido pelo computador da aeronave, que indica o tempo que o avião voou com o motor danificado e pico de temperatura.

Já outras fotos mostram os danos no motor da aeronave, incluindo detritos causados pelo despalhetamento (quando as palhetas – lâminas que giram dentro do motor – se quebram) de um dos motores.

Um e-mail interno da GOL ao qual o AEROIN teve acesso afirma que o motor da aeronave sofreu “estol” de motor durante a subida e que as palhetas danificas ficam na Low Pressure Turbine – Turbina de Baixa Pressão, que é o último estágio que o ar passa pelo motor antes de sair pelo escapamento.

O Estol de Motor ocorre quando há uma grande mudança na circulação interna do ar, seja por objeto externo como pássaro ou problema mecânico. Com essa mudança brusca no ar, as palhetas do motor podem exceder o seu ângulo de ataque crítico, obstruindo o ar, causando vibração e também começando a se quebrar.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Descobertos furos na fuselagem de avião comercial na inspeção após o...

0
Inicialmente, após a identificação de ao menos um buraco na aeronave, levantou-se a suspeita de que poderia ser por disparo de arma de fogo.