Dez anos após o desaparecimento, nova busca pelo MH370 poderá começar e agora com remuneração

Boeing 777-200 da Malaysia Airlines – Imagem: Masakatsu Ukon / CC BY-SA, via Creative Commons

Dez anos após o desaparecimento misterioso do voo MH370 da Malaysia Airlines, com 293 pessoas a bordo, novas esperanças de uma possível busca pelo avião perdido podem surgir. O governo malaio recentemente sinalizou sua disposição de reinvestir na busca pelo Boeing 777-200 desaparecido, oferecendo assim uma chance de pôr fim à incerteza de longa data para as famílias dos passageiros.

Durante um evento memorial na Malásia, realizado no último domingo, 3 de março, parentes dos passageiros do voo MH370 participaram de homenagens aos desaparecidos. Sob o lema “It’s not history, it’s the future of aviation safety” (“Não é história, é o futuro da segurança da aviação”), um apelo urgente foi feito para não desistir da busca e resolver o mistério do avião desaparecido.

Embora as buscas anteriores não tenham tido sucesso e apenas fragmentos isolados tenham sido encontrados em várias partes do Oceano Índico, o governo malaio parece determinado a não desistir. O ministro dos Transportes da Malásia, Anthony Loke, expressou na cerimônia memorial que a busca deve continuar e que o governo está comprometido com esse objetivo.

Nesse contexto, também foram anunciadas conversas com a empresa de robótica subaquática Ocean Infinity. Embora a Ocean Infinity tenha procurado sem sucesso o destroço duas vezes antes, a empresa agora oferece uma busca com remuneração dependente de sucesso. Embora os custos de uma busca bem-sucedida sejam desconhecidos, Loke deixou claro que os aspectos financeiros não seriam um obstáculo.

No entanto, como pré-requisito para uma nova operação de busca, o governo malaio exige novas pistas credíveis sobre a possível localização do destroço do avião. Apenas com tais indicações o governo buscaria a aprovação do gabinete para assinar um novo contrato para retomar a busca.

O CEO da Ocean Infinity, Oliver Punkett, expressou otimismo sobre uma nova busca. Ele destacou que a tecnologia da empresa foi aprimorada desde a última operação de busca em 2018 e que agora eles se sentem capazes de reiniciar a busca. Em colaboração com especialistas, tanto dentro quanto fora da empresa, eles continuam a analisar os dados para restringir a área de busca e potencialmente obter sucesso.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Juliano Gianotto
Com uma paixão pelo mundo aeronáutico, especialmente pela aviação militar, atua no ramo da fotografia profissional há 8 anos. Realizou diversos trabalhos para as Forças Armadas e na cobertura de eventos aéreos, contribuindo para a documentação e promoção desse campo.

Veja outras histórias