Emirates vai ter que reformar mais superjumbos A380 do que inicialmente esperava

Avião Airbus A380 Emirates
Imagem: Emirates

Com os novos atrasos no Boeing 777X, agora esperados para 2025, a Emirates anunciou que aumentou os planos para reformar as cabines de mais 15 jatos Airbus A380. O total de aviões envolvidos no processo de atualização da cabine subiu, então, para sessenta e sete unidades. Da mesma forma, a empresa também disse que manterá seu plano de aprimorar as cabines de 53 Boeing 777-300ER.

A reforma de 120 aeronaves widebody custará à companhia aérea árabe mais de US$ 1 bilhão e incluirá, entre outras mudanças, a instalação de cabines econômicas premium, um novo produto intermediário às classes econômica tradicional e executiva, que tem mostrado uma boa procura nas rotas inicialmente alocadas.

A empresa com sede em Dubai está irritada com a Boeing por conta dos recorrentes atrasos no Boeing 777X, cujo projeto original previa uma entrada em serviço em 2020. Por ora, a Emirates segue como a maior cliente do 777X, com 115 unidades encomendadas.

O presidente da Emirates, Tim Clark, disse anteriormente que os atrasos podem levar ao cancelamento do pedido, embora tenha voltado atrás e confirmado que a companhia aérea continua comprometido com o modelo. 

Junto à Boeing, a transportadora emiradense tem também trinta 787-9 encomendados, modelo cujas entregas seguem suspensas, com previsão de retorno para o segundo semestre. Com a concorrente Airbus, a Emirates tem um pedido de 50 A350-900, com entregas a partir de 2023.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias