FAA rejeita a documentação da Boeing e as entregas do 787 continuam suspensas

Foto: Boeing

A autoridade aeronáutica dos Estados Unidos rejeitou como “incompleta” a documentação apresentada pela Boeing para reiniciar as entregas do 787 Dreamliner, segundo fontes citadas pela Reuters. A FAA identificou “omissões” na documentação apresentada pela fabricante no final de abril e devolveu partes dela à Boeing para revisão, confirmou uma das fontes.

De acordo com a publicação, é muito cedo para determinar se as observações da FAA resultarão em um atraso adicional no reinício das entregas, que já estão suspensas há um ano, informa o site parceiro Aviacionline.

Na apresentação dos resultados no final de abril, o CEO da Boeing, Dave Calhoun, disse que a apresentação da documentação foi um “passo muito importante” e que a empresa estava se preparando para a primeira entrega, embora não tenha dado uma data precisa.

A Boeing tem, até o momento, mais de cem 787 pendentes de entrega com um valor de mercado de cerca de 12,5 bilhões de dólares. Em fevereiro de 2022, a FAA removeu a capacidade de autocertificação do fabricante até que a agência recupere a confiança nos processos de construção de aviões.

A suspensão das entregas do 787 impacta diretamente as operadoras , que em um contexto de recuperação no mercado de longa distância – principal segmento afetado pela pandemia – precisam programar equipamentos com melhores níveis de consumo e custo por quilômetro.

A American Airlines, por exemplo, teve que suspender novos destinos que havia anunciado e adiou “temporariamente” as rotas Seattle-Londres, Los Angeles-Sydney e Dallas-Santiago do Chile. Além disso, atrasou o lançamento das operações Dallas-Tel Aviv e reduzirá as frequências entre Miami e São Paulo.

Um novo revés da Boeing em seu relacionamento com a FAA coloca a empresa em sérios apuros, pois ela busca superar a crise do MAX enquanto precisa se concentrar em obter a certificação do 737-10 antes do final do ano, para que o processo não requeira mudanças no projeto e treinamento da tripulação.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias