Presidente da Argentina nega que Jumbo esteja apreendido e que ele seja do Irã

Apesar das apreensões judiciais e o fato do avião estar lacrado pela polícia, o Presidente da Argentina negou que o Boeing 747 esteja ‘preso’.

Foto por Aviacionline

Em mais um capítulo da “novela latina” que se desenrola em torno do Boeing 747 de origens iranianas, mas atualmente operado pela empresa estatal venezuelana Conviasa, foi a vez do Presidente da Argentina falar sobre o caso.

Alberto Fernández declarou à Rádio 10 que não existe nada de errado com o avião, “que só está parado na Argentina por falta de abastecimento por causa das sanções”. Fernández também acusou a oposição de se aproveitar do caso, “criando algo obscuro, sendo que não é nada disso”. Mesmo com as falas do presidente, o avião está lacrado pela justiça argentina, que investiga o caso de perto.

Nos último desdobramentos, a Polícia Judiciária apreendeu as caixas-pretas do avião e todos os eletrônicos que estavam com os tripulantes, tanto venezuelanos como iranianos, assim como aqueles que foram deixados para trás na aeronave, que é um dos poucos 747-300 ainda em operação no mundo.

Mesmo que o avião não tenha nenhuma ligação oficial com o Irã ou a grupos terroristas, nenhuma empresa de abastecimento decidiu até o momento abastecer a aeronave, deixando-a ainda sem ter como decolar da Argentina.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias