Está pronto o protótipo de meia-escala da curiosa aeronave Cavorite X5

Imagem: Horizon Aircraft

A Horizon Aircraft, de Toronto, Canadá, informa que revelou um protótipo em 50% de escala do que ela denomina como seu “lindo – e muito exclusivo – táxi aéreo elétrico VTOL, o Cavorite X5, que se destaca do pacote como o único eVTOL que cobre completamente seus propulsores de elevação para um voo de cruzeiro de super baixo arrasto.”

Com uma envergadura de 22 pés (6,7 metros) e um comprimento de cerca de 15 pés (4,6 metros), este protótipo de meia escala pesa cerca de 500 libras (227 kg), por isso não é de forma alguma um drone pequeno.

“Estamos agradavelmente surpresos ao vê-lo extremamente próximo dos designs renderizados que vimos para o que deve ser uma das aeronaves mais bonitas da classe eVTOL”, descreveu a empresa.

O Cavorite X5 é um design canard puro de elevação vertical e cruzeiro horizontal, com 16 fans (ventiladores) de elevação incorporadas nas asas e um único suporte de propulsão na parte de trás.

Imagem: Horizon Aircraft
Imagem: Horizon Aircraft

A Horizon projetou e patenteou um design de asa muito elegante, no qual a superfície aerodinâmica de uma asa lisa e sólida se divide bem no meio. As bordas dianteira e traseira da asa se afastam para revelar os fans de sustentação para operações de VTOL, depois fecham e travam quando é hora do voo de cruzeiro.

Segundo o New Atlas, Brandon Robinson, fundador da Horizon, disse em um bate-papo por vídeo que “o segredo é manter o sistema leve o suficiente e ainda ter um sistema de abertura e fechamento seguro e robusto. Há ligação cruzada entre as asas para garantir que a abertura seja simétrica, uma não vai continuar abrindo se a outra estiver travada – e há um mecanismo muito legal para parar decentemente essas tampas e trancá-las no lugar contra impactos. E tivemos que manter todo esse sistema leve e elegante, e também reparável em qualquer lugar, porque essas coisas vão para todos os tipos de lugares malucos.”

O projeto de asa dividida resolve um problema importante com outros projetos de elevação e cruzeiro com sistemas de propulsão vertical e horizontal totalmente separados: os sistemas de elevação aumentam seu arrasto no voo para frente, limitando sua velocidade máxima e diminuindo seu alcance.

“Em velocidades mais altas, isso faz uma enorme diferença, porque o arrasto parasita em qualquer ventilador externo, mesmo que esteja travado no lugar, é enorme”, disse Robinson. “Mesmo uma antena GPS ou um pequeno pilone para transportar algo, a mais de 200 nós (370 km/h), eles começam a fazer uma diferença muito, muito significativa.”

Como praticamente o único design de elevação e cruzeiro que chegou a este estágio com ventiladores de elevação cobertos, espera-se que o Cavorite X5 tenha uma velocidade máxima de cruzeiro de 240 nós (450 km/h), significativamente mais rápido, por exemplo, que o Joby S4, que é atualmente a aeronave eVTOL mais rápida já medida.

“É difícil obter essa velocidade de um sistema multi-rotor, você tem todos os tipos de problemas aerodinâmicos e de vibração, essas aeronaves não são feitas para ir tão rápido”, disse Robinson.

Também pode haver um bônus de certificação – teoricamente, a Horizon pode certificar o Cavorite X5 como um avião de asa fixa para colocá-lo em serviço e depois estender a certificação para incluir operações VTOL.

Imagem: Horizon Aircraft
Imagem: Horizon Aircraft

O Cavorite X5 será uma aeronave híbrida, executando um sistema de propulsão elétrica alimentado por uma combinação de baterias de lítio e alguma forma de turbogerador para permitir alcance de até 500 km.

Robinson nos disse que este protótipo em escala de 50% poderia voar amanhã se eles quisessem, mas eles farão testes de voo lenta e cuidadosamente nas próximas semanas e meses. Primeiro virá o trabalho de solo em uma bancada de teste, depois o voo pairado amarrado e, quando as licenças estiverem em vigor, o voo pairado sem amarras por volta do final de agosto.

Em seguida, a equipe irá testá-lo como uma asa fixa convencional, antes de trabalhar nas coisas complicadas em torno da transição entre os modos de pairar e de cruzeiro.

O Cavorite X5 em escala real, diz ele, já está em desenvolvimento, mas a empresa precisará levantar algum dinheiro de investimentos para construí-lo, e depois levantar mais uma vez no caminho para o caro processo de certificação da FAA.

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias