Empresa que espera voar ao Brasil compra 20 aviões Boeing 737-8-200

Boeing 737-MAX 8 – Imagem: Arajet

A Boeing e a companhia aérea Arajet, antiga flycana, anunciaram nesta segunda-feira, 14 de março, que a nova companhia aérea do Caribe, baseada na República Dominicana, encomendou 20 aviões 737 MAX, especificamente o modelo 737-8-200 de alta capacidade, para expandir as opções de viagens acessíveis nas Américas com menores custos operacionais.

A Arajet também tem opções de compra de 15 jatos 737 MAX adicionais que, juntamente com os contratos de arrendamento existentes, podem levar a nova frota de baixo consumo de combustível da companhia aérea para 40 aviões. O pedido da aeronave foi finalizado em janeiro e estava atribuído a um cliente não identificado no site de pedidos e entregas da Boeing.

“O eficiente Boeing 737 MAX, aliado ao suporte financeiro e operacional de nossos parceiros da Griffin e Bain Capital, nos dá a base sólida necessária para oferecer voos a preços acessíveis aos viajantes da região”, disse Victor Pacheco Mendez, fundador e diretor executivo da Arajet. “Toda a equipe ficou exultante ao ver nossa primeira aeronave chegar a Santo Domingo há alguns dias, e estamos ansiosos para expandir nossa frota com mais desses jatos incríveis nos próximos meses.”

A companhia aérea sediou hoje um evento de lançamento em seu novo hub em Santo Domingo, República Dominicana. Posicionada entre a América do Norte e a América do Sul, esta localização no Caribe alavancará o alcance do 737 MAX para atender um grande número de mercados tradicionais e mal atendidos nos Estados Unidos, Brasil, Colômbia e além.

O 737 MAX pode voar mais longe e usa 20% menos combustível do que as aeronaves da geração anterior. Outros benefícios importantes da nova frota da Arajet incluem melhor desempenho ambiental com redução de 40% no ruído e emissões mais baixas.

O primeiro jato da Arajet, um 737-MAX 8 alugado da Griffin Global Asset Management, foi entregue no início de março. O jato foi visitado hoje pelo presidente dominicano Luis Abinader, que participou do evento de lançamento, junto com autoridades da indústria, governo e turismo.

À medida que as viagens e o turismo se recuperam globalmente, a Arajet espera gerar aproximadamente 4.000 novos empregos e um novo desenvolvimento econômico significativo para a nação insular. O turismo representa 8,4% do PIB da República Dominicana.

“O 737 MAX é a combinação perfeita para a Arajet e é uma honra dar as boas-vindas a esse novo e empolgante operador da família Boeing”, disse Mike Wilson, vice-presidente de vendas para América Latina e Caribe da Boeing Commercial Airplanes. “Voar uma frota exclusiva de 737 MAX permitirá à Arajet economizar em combustível, manutenção e custos operacionais, e repassar essas economias para seus clientes”.

Informações da Boeing

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Seguradora do avião do acidente da Chapecoense vai aumentar indenização às...

0
Houve um compromisso da operadora em aumentar o valor do Fundo Humanitário criado para indenizar as 71 famílias das vítimas da tragédia.